THE DELAGOA BAY WORLD

09/04/2020

A DUQUESA DE AOSTA VISITA O CENTRO DE MOÇAMBIQUE, 1909-1910

Helena, Princesa de Órléans, mais tarde Duquesa de Aosta (1871-1951), já foi por mais que uma vez mencionada neste blog, aqui. Era uma irmã mais nova da última rainha portuguesa, Amélia. Teve a particularidade de ter feito várias longas viagens por África, a segunda da qual (que durou 9 meses) incluiu, entre Dezembro de 1909 e Janeiro de 1910, uma épica e memorável paragem na Beira (nomeada pelo seu sobrinho, o Príncipe Luis-Filipe, herdeiro da coroa portuguesa) e uma visita a uma região ali perto, o Búzi e Luzitânia, onde pelos vistos andou nas caçadas, pelo que era conhecida. As viagens da Duquesa foram organizadas pelo Marquês de Piscicelli, um amigo que tinha alguma experiência de África e que aparece numa das vinte fotografias em baixo, que foram todas tiradas pelo fotógrafo I.R.Carvalho, que sempre se lhe referia como “S.A,”, para Sua Alteza Real. Helena usava muito a fotografia nas suas viagens.

1

2. Piscicelli à direita.

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

 

 

08/04/2020

MENU DO MATABICHO DO HOTEL SAVOY NA BEIRA, 1935

Imagens retocadas, do menu para o matabicho do hotel no dia 7 de Agosto de 1935, uma quarta-feira.

 

1

 

2

UMA HISTÓRIA DO RÁDIO CLUBE DE MOÇAMBIQUE, 1933-1958

Imagens retocadas.

Este documento, publicado em 1959 para assinalar 25 anos desde a fundação e a primeira emissão radiofónica (18 de Março de 1933) do Grémio dos Radiófilos da Colónia de Moçambique, foi originalmente divulgado pelo excelente (e aparentemente defunto) sítio Xiconhoca, de onde o copiei em 2009 e só agora estive a reler e a retocar, mais recentemente republicado pelo excelente Mozindico.

Apesar da sua retórica “vintage”, e dos posteriores revisionismos (ver um exemplo aqui) permanece um documento de referência que merece uma leitura “pandémica”.

Tendo eu nascido em 1960, lamento não haver um relato semelhante para o que foi feito no Rádio Clube nos quinze anos seguintes, e que considero merecer ficar registado.

1 – Capa – o emissor da Matola, com, à frente, a estátua da autoria do mestre escultor António Duarte.

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14- 1938 e 1939

15

16

17 – Anos de 1940-1941

18 – Anos de 1941-42

19 – Anos de 1942-1943

20

21- Anos de 1943-45

22 – Anos de 1945-48

23 – Ano de 1948

24- Anos de 1948-49

25 – Anos de 1949-1950

26 – Ano de 1949

27

28 – Anos de 1950-1951

29 – Ano de 1951

30 – Anos de 1951-1952

31 – Anos de 1952-1953

32

33 – Anos de 1953-1954

34 – Anos de 1954-1955

35 – Ano de 1955

36 – ANo de 1955

37 – Anos de 1955-1956

38 – Ano de 1956

39

40 – Anos de 1956-1957

41 – Ano de 1957

42 – Anos de 1957-1958

43 – Ano de 1958

44

45

 

06/04/2020

O CAMPO DE FUTEBOL DO CLUBE FERROVIÁRIO EM LOURENÇO MARQUES, 1932

Filed under: LM Estádio de futebol do CFM 1932 — ABM @ 11:27

Imagem retocada, da Revista da Sociedade Luso-Africana do Rio de Janeiro, Nº3, pág.3.

 

O então novo estádio de futebol do Clube Ferroviário em Lourenço Marques, 1932. Do que me lembro, esta bancada principal do campo era feita em cimento armado, na altura uma novidade, no entanto, na imagem, a estrutura parece ser ainda de madeira.

O BAZAR BOMBAY, DE B. CHOITRAM

Filed under: Bazar Bombay LM — ABM @ 11:22

Imagem retocada, copiada do Guia Carlton para o Sul de África, pág. 121.

Note-se que o Bazar Bombay, situado no nº95 da Rua Consiglieri Pedroso, e que vendia um pouco de tudo, fazia parte de uma organização multinacional, com presença em, para além de Lourenço Marques, Inhambane, Quelimane, Bombaim, Zanzibar, Mombassa, Dar-es-Salaam e Nairobi.

O anúncio do Bazar Bombay.

FIÉIS EM FRENTE À MESQUITA DE LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DO SÉC. XX

Imagem retocada.

 

Interessante, face ao actual debate quanto às relações entre muçulmanos de raça negra e os outros em Moçambique, constatar que há mais que cem anos isso não parece ter sido assunto de relevo. Fiéis em frente à Velha Mesquita na Baixa de Lourenço Marques, início do Séc. XX. Curioso, também, que a tradução do termo “monhés”, mais tarde considerado pejorativo, era (em inglês) “muçulmanos nativos”. Eu estimo que pelo menos metade da Lourenço Marques original era muçulmana, e vivia, trabalhava – e orava – na pequena cidade. Não há estudos, que eu saiba, sobre a sua proveniência, sendo que pressuponho que não eram do Sul de Moçambique, onde, antes de Lourenço Marques, não havia mais nenhuma urbe.

PESSOAS NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, INICIO DO SÉC. XX

Filed under: 1900s, Pessoas na Baixa de LM — ABM @ 11:21

Imagem retocada.

 

Penso que esta é uma foto dos Lazarus. Pessoas numa rua da velha Lourenço Marques, início do Séc. XX. Impressiona-me a indumentária e que toda a gente usava chapéu. Não sei bem qual era a ocasião.

04/04/2020

A SEDE DO RÁDIO CLUBE DE MOÇAMBIQUE EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1960

Imagem retocada.

A sede do Rádio Clube de Moçambique. Atrás, a Sé Catedral.

APÓS O ARMSTÍCIO EM MOÇAMBIQUE, 1918

Filed under: Paul Emil Lettow von Vorbeck — ABM @ 20:43

Imagem retocada.

Este postal acaba por ser um pouco de propaganda a posteriori para consolo dos “aliados” portugueses e britânicos. Os britânicos tinham pouco mais que desprezo pelos seus “aliados centenários”. Na realidade ambos pouco conseguiram para impedir Paul Emil Lettow von Vorbeck de semear a confusão no Norte de Moçambique, os portugueses tendo sido particular e quase espectacularmente ineptos. O genial general alemão entregou-se pacificamente, uns dias depois de assinada a rendição alemã. O prémio de consolação português? O Triângulo de Quionga.

Amigos ma non troppo.

PESSOAS NA PRAÇA 7 DE MARÇO EM LOURENÇO MARQUES, FIM DO SÉC. XIX

Imagem retocada.

 

Não faço ideia quem sejam as pessoas que estão a posar à esquerda, em frente a um dos kiosks da Praça 7 de Março (na altura era a Praça Mouzinho de Albuquerque e hoje é a Praça 25 de Junho). A rua em frente é a Avenida Aguiar, mais tarde Avenida D. Luis e, mais recentemente, Avenida Marechal Samora Machel.

03/04/2020

PARADA MILITAR EM LOUREBNÇO MARQUES, ANOS 1960

Imagem retocada.

Penso que esta deve ter sido uma das paradas por ocasião do feriado do 10 de Junho em Lourenço Marques.

 

A Praça Mouzinho de Albuquerque em Lourenço Marques, vista do Prédio Funchal.

TAMPA DE CERVEJA 2M, ANOS 60

Filed under: Tampa de Cerveja 2M — ABM @ 18:45

Imagem retocada.

A 2M era uma marca das Fábricas Reunidas.

Mac-Mahon era o Presidente da França que decidiu em favor de Portugal (contra o Reino Unido) o direito à posse dos territórios a Sul de Lourenço Marques, por decisão de arbitragem proferida a 24 de Julho de 1875. Não sei quem teve a ideia de colocar o seu nome numa cerveja.

VISITA À PRAIA DA POLANA EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1910

Imagens retocadas, dos arquivos coloniais alemães.

Três fotos tiradas durante uma passagem por Lourenço Marques de um navio da marinha alemã. Os marinheiros fizeram uma visita à Praia da Polana e pelos vistos fizeram lá uma almoçarada. Obviamente, antes de eclodir a I Guerra Mundial.

1 de 3 – A Praia da Polana, com carrocel, a banda a tocar no enorme coreto, restaurante, barracas para mudar a roupa, o cais ao fundo.

 

2 de 3 – alguns marinheiros observam a praia e a prancha de saltos.

 

3 de 3 – os marinheiros alemães numa almoçarada.

02/04/2020

O SALÃO DE CHÁ ARCÁDIA EM LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DOS ANOS 1940

Imagens retocadas, do espólio de Jorge Vara.

O Salão de Chá Arcádia existiu no primeiro andar do Edifício da Casa Coimbra, na Avenida da República (actual Avenida 25 de Setembro) na Baixa de Lourenço Marques, entre 1940 e 1950. Resultou de uma parceria entre o Maestro Artur Fonseca, Jorge Vara e outro sócio.

1 – O edifício da Casa Coimbra. À direita vê-se a J. Salvado da Costa, onde anos mais tarde se edificou a nova sede do BNU.

 

2 – Fachada da Casa Coimbra e Salão de Chá Arcádia.

 

3 – Interior do Salão de Chá. À direita, o balcão. Ao fundo, o palco onde tocava todos os dias uma banda ao vivo. Na altura, todas as terças-feiras, à noite eram dados concertos de música clássica que eram difundidos para todo o mundo ao vivo através de uma emissão do Rádio Clube de Moçambique.

 

4- Interior, visto do lado oposto.

 

5- A esplanada, com vista para a Avenida da República.

 

6- Ampliação da vista, mostrando a esquina com a Avenida Dom Luis (dantes Avenida Aguiar, actual Avenida Marechal Samora Machel), o Café Scala, o Edifício xx e a Fazenda (actual Biblioteca Nacional de Moçambique.

 

VISTAS DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1920

Imagem retocada.

O Hospital Miguel Bombarda, a Hospedaria do Governo na Ponta Vermelha e duas perspectivas da Avenida 24 de Julho em Lourenço Marques.

O CINEMA DICCA E O ESTÚDIO 222 EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1970

Filed under: LM Cinema Dicca, LM Cinema Varietá, LM Estúdio 222 — ABM @ 20:48

Imagem de F Pinho, retocada.

Os cinemas Diccca e, ao fundo, o Estúdio 222 em Lourenço Marques. Foram edificados no local onde dantes estava implantado o Teatro Varietá.

01/04/2020

KATHLEEN BINDA EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 70

Filed under: Kathleen Binda — ABM @ 17:50

Imagem retocada de José Carlos Portela.

Kathleen Margarida Binda foi uma atleta de referência de Moçambique no basquet e no atletismo. Em baixo, um artigo da revista portuguesa Flama, de 1967, sobre ela.

Kathleen, agora com apelido Burton, reside no Reino Unido há muitos anos e mantém-se em contacto com o pessoal do seu tempo.

Kathleen Binda em Lourenço Marques, anos 70.

Artigo na Flama de 5 de Maio de 1967, 1 de 2

Flama de 5 de Maio de 1967, 2 de 2.

O RESTAURANTE A TOCA EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Filed under: Benvinda Correia, LM Rest. A Toca — ABM @ 17:20

Imagem retocada.

 

Postal do Restaurante A Toca, na Baixa de Lourenço Marques (Avenida D. Luis, Nº8). Não conheci, mas tem o aspecto de ser um espaço típico português para os turistas bifetecas e os nacionais apreciadores do género.

EMISSÃO DAS PRODUÇÕES GOLO EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Imagem retocada.

 

Fotografia tirada durante um dos programas das Produções Golo, transmitido em directo de um Stand da Sociedade Ultramarina de Tabacos. Das pessoas, reconheço o João de Sousa e o António Luiz Rafael. Em Lourenço Marques fazia-se rádio a sério.

O TEATRO VARIETÁ EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1930

Filed under: LM Cinema Varietá — ABM @ 17:19

Imagem retocada e colorida.

 

O Varietá, aí para os anos 30, quando o teatro já era “velho”. Foi demolido no final dos anos 60 e no seu lugar edificaram-se o Dicca e o Estúdio 222.

31/03/2020

OS IRMÃOS DINIZ E JORGE VARA TOCAM EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 40

Filed under: Irmãos Diniz - orquestra em LM, Jorge Vara — ABM @ 13:41

Imagem retocada, do espólio de Jorge Vara, grato à sua filha Suzette Vara Malosso.

Espero e desejo que todos os exmos Leitores estejam seguros (em casa) e protegidos da Pandemia de Corona Virus 19, actualmente em curso em todo o mundo.

Os Irmãos Diniz (tinham ainda uma irmã, que também tocava na orquestra) eram originários de Goa e tocavam em Lourenço Marques entre os Anos 30 e 50. Jorge Vara, que era um músico de origem portuguesa e que viva em Lourenço Marques desde 1918, era amigo deles e ocasionalmente tocava com a orquestra dos irmãos, em festas, concertos e casamentos.

 

A Orquestra dos Irmãos Diniz com Jorge Vara (à direita), tocando em Lourenço Marques, anos 30. Não sei os nomes deles.

EVELYN MARTIN DA LM RADIO, EM EAST LONDON, 1965

Imagem retocada, de Carlos Alfredo Albuquerque.

Evelyn Martin foi uma lendária locutora da LM Radio, tendo trabalhado naquela estação de música rock e pop que emitia a partir de Lourenço Marques, entre 1950 e 1974. Evelyn era filha de portugueses e nasceu e cresceu em Joanesburgo. Falava inglês e afrikaans perfeitamente. Depois do episódio da ocupação da sede do Rádio Clube de Moçambique em Setembro de 1974, foi para Joanesburgo, onde posteriormente trabalhou nas estações sul-africanas Springbok Radio e Radio Highveld. Hoje, cocuana, vive reformada naquela cidade sul-africana.

Evelyn Martin, aqui em East London (provavelmente numa acção promocional da LM Radio), 1965.

AS IRMÃS MUGE EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 70

Filed under: Amélia Muge, Teresa Muge — ABM @ 13:03

Imagem retocada, de Carlos Alfredo Albuquerque.

 

As Irmãs Teresa e Amélia Muge em Lourenço Marques, anos 70, com a inscrição de uma dedicatória à Delta Publicidade.

 

ANA PAULA ALMEIDA, MISS MOÇAMBIQUE E MISS PORTUGAL VISITA LISBOA, 1971

Filed under: Ana Paula Almeida - Miss Moçambique — ABM @ 12:49

 

Com uma vénia ao excelente sítio Malhanga e à secção de arquivos da Rádio Televisão de Portugal, apresento a hiperligação a um vídeo mostrando a jovem Ana Paula Almeida, de visita a Lisboa em Setembro de 1971, eleita nesse ano Miss Moçambique e Miss Portugal e ainda ficou em 2º lugar no concurso Miss Mundo.

Ana Paula Almeida.

Prima a ligação em baixo para ver o vídeo :

https://drive.google.com/file/d/1XxisS1Lz9ek_Xh1VhbqP5QhE-w2J-rKw/view

29/03/2020

CARTAZ DA LM RADIO EM LOURENÇO MARQUES, 1973

Filed under: Cartaz da LM Radio 1973, LM Radio — ABM @ 23:57

Imagem retocada.

 

A LM Radio era um projecto do Rádio Clube de Moçambique que emitia em línguas inglesa e afrikaans para a África do Sul e cuja programação consistia em música pop e rock.

Older Posts »

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: