THE DELAGOA BAY WORLD

29/07/2018

A RAMPA PEDESTRE ENTRE A POLANA E O CLUBE NAVAL EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Imagem colorida por mim.

 

À esquerda, a “famosa” rampa para pedestres que descia da Polana para o Clube Naval, anos 60. Apanhava-se na Avenida dos Duques de Connaught a seguir à ruazinha que descia da esquina do Restaurante Piri-Piri. Usei-a vezes sem conta mas, por milagres da Independência, “desapareceu” e décadas depois encontrei gente em Maputo que jura a pés juntos que ela nunca existiu. Aliás o maior estampanço que dei num carrinho de rolamentos foi a descer esta rampa, digamos que falharam os travões…. a Barreira da Polana aqui está periclitante o que faz prever que um dias destes vai haver festa, sendo que esta rampa servia para recolher as águas pluviais a meio da barreira. Nesta imagem, o Pavilhão de Chá ainda existia, mais à frente.

O CR-MAH, AVIÃO DA AERO-COLONIAL, INAUGURADO EM LOURENÇO MARQUES, 1933

Recorte de O Ilustrado, suplemento do Notícias de Lourenço Marques, Nº17, 23 de Dezembro de 1933, pág. 338, documentando a entrada em serviço do CR-MAH, um avião, em Lourenço Marques.

 

XX

A PRAIA DA POLANA E O CLUBE NAVAL, 1910S

Imagem colorida por mim.

A Praia da Polana e o Clube Naval, segunda década do século XX. Daqui se pode ver que o edifício foi construído sobbre um aterro feito a partir das Barreiras da Polana.

TAMPA DE FANTA LARANJADA DA COMPANHIA DE REFRIGERANTES MAC-MAHON

 

Tampa de uma Fanta Laranjada da Companhia de Cervejas e Refrigerantes Mac-Mahon. SARL.

PROVAS DE NATAÇÃO NO FERROVIÁRIO EM LOURENÇO MARQUES, 1974

Imagem a preto e branco colorida por mim.

 

Após uma prova de natação, na piscina do Clube Ferroviário em Lourenço Marques, Janeiro de 1974. De cima para baixo: Luiz Dinis (Desportivo), Jaime Santos (Desportivo), Rui Abreu (Ferroviário), ABM (Desportivo).

O MACHIMBOMBO NÚMERO SETE EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

 

 

O machimbombo da Carreira Nº7, entre a Baixa e o Xipamanine, estacionado na Praça Mac-Mahon em Lourenço Marques, anos 60. No lado, um anúncio de geleiras, rádios e ar-condicionados da Paulino Santos Gil & Cia, Ldª.

MULHER EM MOTA EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 40

Filed under: Mulher em mota em LM anos 40 — ABM @ 17:53

Imagem original a preto e branco, colorida por mim.

 

Não conheço o modelo da mota mas parece ser um “avião”.

OS IRMÃOS BOTELHO DE MELO NO DESPORTIVO EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Imagem colorida e retocada.

No relvado da Piscina dos Pequeninos do Grupo Desportivo Lourenço Marques, cerca de 1964. Ver os nomes em baixo. Foto tirada pelo Pai Melo.

 

1- Paula, 2- António, 3- Fernando, 4-Cló, 5- Chico, 6- Mesquita, 7- Lelé

A RUA DOS AVIADORES NA POLANA EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Imagens retocadas e pintadas por mim(voltei às pinturas…). Relevante apenas porque vivi ali quase toda a minha infância.

Hoje a artéria dá pelo nome de Rua da Argélia. Ficava situada entre o Liceu Salazar e o Museu Álvaro de Castro, dum lado, e da Avenida António Ennes do outro lado.

Placa da Rua dos Aviadores.

 

A Rua dos Aviadores é a onde as árvores estão pintadas a verde. A casa azul com o telhado a vermelho era a casa onde os BM viveram durante onze anos. Foi demolida ainda antes de 1974. A seguir ficava o Núcleo de Arte. Em primeiro plano vêem-se o Liceu Salazar e a Praça das Descobertas. A foto deve ter sido tirada mesmo no início dos anos 60 pois ainda me lembro de a municipalidade ter arrancado todas estas árvores e plantado árvores novas, pequenas.

 

 

22/07/2018

TORNEIO DE TÉNIS EM LOURENÇO MARQUES, MAIO DE 1933

Tirado de O Ilustrado, suplemento do Notícias de Lourenço Marques, Nº5, 1 de Junho de 1933, pág. 88.

 

O Lourenço Marques Lawn & Tennis Club praticava nos courts de ténis situados no topo do Jardim Vasco da Gama (hoje Tunduru). Ao princípio era usado quase exclusivamente por ingleses e sul-africanos.

O MINI-GOLFE EM LOURENÇO MARQUES, 1972

Filed under: LM Mini Golfe — ABM @ 16:27

Grato ao PPT e ao AHM.

 

O campo de mini-golfe de Lourenço Marques, que ficava situado junto à Praia do Miramar e ao Parque Municipal de Campismo. Foto tirada em 6 de Fevereiro de 1972.

O LICEU SALAZAR E A PRAÇA DAS DESCOBERTAS EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Grato ao PPT e ao AHM.

 

Foto tirada da Hotel Cardoso para Noroeste, mostrando em frente a Praça das Descobertas e o Liceu Salazar(hoje Liceu Josina Machel). À esquerda o Parque Silva Pereira e as Barreiras da Maxaquene e à direita, fora de vista, o Museu Álvaro de Castro(hoje Museu de História Natural). Finais dos anos 60.

O TRIBUNAL ADMINISTRATIVO EM LOURENÇO MARQUES, 1974

Grato ao PPT e ao AHM pelas duas primeiras imagens.

Mandado edificar como residência para Gerard Pott junto ao Jardim Botânico de Lourenço Marques no início do Século XX (o futuro Jardim Vasco da Gama e agora Tunduru), muitos lhe chamam  Vila Jóia. Que eu saiba Pott nunca a usou plenamente e cerca de 1915 vendeu-a ao Governo Provincial, que a usou como um museu meio natural, meio etnográfico, até o transferir para o Museu Álvaro de Castro cerca de 1935. Depois foi usado como tribunal Administrativo. Penso que actualmente ali funciona o Tribunal Supremo de Moçambique.

O Tribunal Administrativo, 1974.

 

Outra imagem do Tribunal Administrativo.

 

O edifício na segunda década do Séc. XX, quando foi convertido em museu. Se o Exmo. Leitor prestar atenção, comparando a fachada original com a de 1974, vai reparar que a fachada original foi só meio completada. A casa de facto era muito mais modesta. Anos depois, alguém fez as obras que completaram a mansão. Esse “desequilíbrio” arquitectónico, como se pode ver na imagens seguintes, era escondido pelo ângulo com que se tiravam as fotografias.

 

Anos 20, quando era museu.

 

Artifactos na varanda principal, quando era museu, meados dos anos 20.

 

A fachada frontal, meados dos anos 20, postal da Colecção Rufino.

 

A maior parte do espólio do Museu Provincial foi transferida em 1935 para o Museu Álvaro de Castro (hoje, Museu de História Natural), que originalmente havia sido desenhado para ser uma escola primária. O resto foi transferido para o futuro Núcleo Museológico da Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição, concebido por Pancho Guedes a partir das ruínas da fortaleza, na década de 1940.

A VELHA SEDE DOS BOMBEIROS DE LOURENÇO MARQUES E O PRÉDIO DOS 33 ANDARES, 1965

Grato ao PPT e ao AHM.

 

A antiga Estação dos Bombeiros de Lourenço Marques, na esquina das Avenidas da República e Augusto Castilho, foto tirada no dia 18 de Dezembro de 1965, momentos antes de se iniciar a sua demolição. No mesmo local iniciou-se, pouco tempo depois, o trabalho das fundações do futuro Prédio dos 33 Andares, que levaram séculos a concluir, antes de se começar a fazer o edifício propriamente dito, pois a cota do nível freático da água nesta zona da Cidade é de quase 1 metro.

 

Ao fundo, o enorme anúncio iluminado dos Colchões Siesta, que acho que eram “made in Moçambique”. Quando nadava na piscina do Desportivo, ali ao lado, ao cair das noites, vi este anúncio a funcionar pelo menos um milhão de vezes.

O HOTEL CARDOSO EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Filed under: Aida Sorgentini, Hotel Cardoso LM, LM Hotel Cardoso — ABM @ 15:22

Grato ao PPT e ao AHM.

 

O Hotel Cardoso em Lourenço Marques, anos 60. Indissociável da grande Senhora que foi Aida Sorgentini e cuja história pode ser lida neste blog. Ficava situado entre a Polana e a Ponta Vermela, junto às Barreiras da Maxaquene, junto à Praça das Descobertas, em que do outro lado ficava o Liceu Salazar.

O CINEMA INFANTE EM LOURENÇO MARQUES, ABRIL DE 1973

Grato ao PPT e ao AHM.

 

O Cinema Infante, na Avenida Pinheiro Chagas junto do Alto-Maé, em 24 de Abril de 1973.

O HOTEL TURISMO NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, 1970

Grato ao PPT e ao AHM.

 

O Hotel Turismo na Baixa de Lourenço Marques, Março de 1970. Propriedade de uma sociedade que incluía o Hotel Tivoli e em que o sócio de referência era o genial (mas infelizmente pouco conhecido, hoje) empresário Jorge de Abreu, foi implantado na esquina onde antes se situou, durante décadas, a Casa Bayly. No rés-do-chão, ficavam escritórios da DETA.

A SEDE DOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E ELECTRICIDADE EM LOURENÇO MARQUES, 1970

Grato ao PPT e ao AHM.

 

A sede dos SMAE na Avenida Pinheiro Chagas (esquina com a Pêro de Alenquer, penso) em Lourenço Marques, cerca de 1970. Nesta altura, quer o fornecimento de água, de luz, esgotos e transportes públicos eram serviços prestados pela Câmara Municipal.

A EQUIPA DE NATAÇÃO DE LOURENÇO MARQUES ANTES DE TORNEIO EM UMTALI, 1969

Grato ao PPT e ao AHM.

Em baixo, os nadadores de Lourenço Marques, que integraram a equipa que se deslocou a um torneio de natação na pequena Cidade de Umtali, perto da fronteira entre Moçambique e a então Rodésia, posam nas escadarias da Câmara Municipal de Lourenço Marques, durante uma cerimónia protocolar de apresentação de cumprimentos, antes da viagem, 17 de Janeiro de 1969.

 

A equipa de nadadores, treinadores, seccionistas, etc.

 

1- Leonel Gomes, treinador do Desportivo; 2- Victor Cerqueira(Desportivo); 3- ?, dirigente; 4- ?; 5- Francisco Matos Lopes, treinador dos Velhos Colonos; 6- Carlos Oliveira (Desportivo); 7- Júlio Ribeiro(Desportivo); 8- Eduardo Murinello (Velhos Colonos); 9- Henrique Sampaio (Velhos Colonos); 10- João Rocha (Velhos Colonos); 11- ?; 12- Dulce Gouveia(Desportivo); 13- Isabel Sá Chaves, dirigente; 14-Anabela Rosado Lopes(Velhos Colonos); 15- Clotilde Botelho de Melo(Desportivo); 16- Lídia Gouveia(Desportivo); 17- Anabela Gouveia.(Desportivo) Peço ajuda com os nomes que faltam, bastando para tal escrever uma nota para aqui.

 

A mesma imagem, aqui mostrando as meias longas….

 

O Engº António Duque Martinho, então o Presidente da Câmara Municipal de Lourenço Marques cumprimenta um nadador dos Velhos Colonos. Ao meio, o nadador do Desportivo, Júlio Ribeiro.

O PRÉDIO BRIDLER NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, JULHO DE 1968

Grato ao PPT e ao AHM.

 

O (então) novo Prédio Bridler, na Baixa de Lourenço Marques, Julho de 1968.

O CINE-TEATRO SÃO MIGUEL EM LOURENÇO MARQUES, ABRIL DE 1973

Filed under: LM Cinema São Miguel 1973 — ABM @ 13:23

Grato ao PPT e ao AHM.

 

A fachada do Cine-Teatro São Miguel, na Avenida 24 de Julho em Lourenço Marques, no Alto-Maé, Abril de 1973. Foi depois convertido no….que é hoje o edifício da Assembleia da República de Moçambique.

AS FÁBRICAS DE CERVEJA REUNIDAS NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, 1970

Grato ao PPT e ao AHM.

 

As Fábricas de Cerveja Reunidas na Baixa de Lourenço Marques, 1970.

O TEATRO AVENIDA EM LOURENÇO MARQUES, 1967

Filed under: LM Av. da República, LM Baixa, LM Teatro Avenida — ABM @ 13:12

Grato ao PPT e ao AHM.

Nesta altura o Teatro Avenida pertencia à empresa Somocine, cujo accionista de referência era o empresário Jorge de Abreu.

A fachada do Teatro Avenida na Avenida da República em Lourenço Marques, Fevereiro de 1967.

 

NUM PASSEIO NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, ABRIL DE 1971

Grato ao PPT e ao AHM.

 

Vista de um passeio na Baixa de Lourenço Marques, na Avenida da República, quase em frente ao BNU, 11 de Abril de 1971.

O LICEU ANTÓNIO ENNES EM LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DOS ANOS 60

Filed under: LM Liceu António Enes — ABM @ 13:00

Grato ao PPT e ao AHM.

 

O Liceu António Ennes em Lourenço Marques no início dos anos 60. Ficava situado numa encosta no Alto-Maé. Segundo o Vasco Freitas, começou a funcionar em 1961-62.

Older Posts »

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: