THE DELAGOA BAY WORLD

20/06/2019

O MUSEU ÁLVARO DE CASTRO EM CONSTRUÇÃO EM LOURENÇO MARQUES, DÉCADA DE 1930

Imagem retocada.

Inicialmente era para ser uma escola primária, uma das grandes manias dos maçónicos “democratas republicanos” na Primeira República, com longa presença em Moçambique e que tiveram uma expressão peculiar em Lourenço Marques. Mas os poderes constituídos devem ter achado que a construção seria épica demais para este fim e em vez disso, transferiram para aqui o espólio do Museu Provincial, que desde 1913 estava alojado na Vila Jóia, e deram-lhe o nome de um relativamente obscuro Governador-Geral da Primeira República, Álvaro de Castro (1915-1918). No posterior processo de obliteração de tudo o que recordasse Portugal e o que os portugueses fizeram, a designação foi alterada pelos senhores que se seguiram para Museu de História Natural.

 

O edifício da escola primária que depois passou a ser um museu.

19/04/2019

MARIA CORINTA DE MELO, UMA CIENTISTA EM LOURENÇO MARQUES

 

Foto publicada no Diário de Lisboa, 17 de Abril de 1952

 

Diário de Lisboa, 24 de Março de 1951.

 

Diário de Lisboa, 17 de Abril de 1952.

 

Delegados à 30ª Reunião Anual da Associação de Museus Sul-Africanos, 1966, posam em frente à fachada do Museu Álvaro de Castro em Lourenço Marques. A Drª Maria Cortinta de Melo é a 5ª pessoa na fila da frente a contar da esquerda.

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: