THE DELAGOA BAY WORLD

03/06/2013

MARCELO CAETANO: UM PERFIL PESSOAL E POLÍTICO

Filed under: Marcelo Caetano, Marcelo Caetano - perfil pessoal — ABM @ 16:32
Marcelo Caetano sucedeu a Salazar como Presidente do Conselho de Ministros de Portugal, em 1968. Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, 12 anos tarde demais.

Marcelo Caetano sucedeu a Salazar como Presidente do Conselho de Ministros de Portugal, em 1968. Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, 12 anos tarde demais. Whatever. A biografia em baixo, contada por quem lhe era próximo, em três segmentos, que apanhei por acaso.

Anúncios

13/02/2012

JOSÉ MARIA MESQUITELA CUMPRIMENTA MARCELO CAETANO EM LOURENÇO MARQUES, 1969

Fotografia gentilmente cedida por José Maria Mesquitela.

Durante a única visita que fez a Moçambique, em meados de 1969, o então jovem José Maria Mesquitela cumprimenta Marcelo Caetano, recentemente empossado como Presidente do Conselho de Ministros português, na sequência dos problemas médicos que invalidaram Salazar. À esquerda de Marcelo Caetano está o ministro do Utramar de então, Prof. Joaquim Moreira da Silva Cunha. Do lado direito estão o Governador-Geral, Baltazar Rebelo de Sousa e a sua mulher. O senhor à direita não sei quem é. Um dos presentes é o seu padrinho (tenho que perguntar quem). O Pai Mesquitela foi um dos expoentes da política ultramarina e um firme defensor da permanência portuguesa em Moçambique, com um impressionante currículo a condizer. Gonçalo Mesquitela, um dos seus irmãos, foi um lendário (e temido) combatente por Portugal. Um Portugal que se extinguiu em 1974.

MARCELO CAETANO, O ÚLTIMO PRESIDENTE DO CONSELHO DO ESTADO NOVO, ANOS 1970

Filed under: José Maria Mesquitela, Marcelo Caetano — ABM @ 01:17

Como o meu amigo e moçambicanófilo José Maria Mesquitela refilou veementemente comigo esta tarde que nas minhas colectâneas lúdico-africanas só mostro fotografias de terroristas da Frelimo, traidores, comunistas e afins (o que nego veementemente, aqui mostra-se quase tudo) aqui vai uma foto tipo poster do Prof. Marcelo Caetano, o senhor que se seguiu a Salazar.

A seguir, claro, uma do próprio Salazar. 

E depois uma dele.

A ver se se restabelecem os equilíbrios político-partidários.

Marcelo Caetano, quando era o Presidente do Conselho que se seguiu a António de Oliveira Salazar (1968-1974)

11/02/2012

A CHEGADA A LOURENÇO MARQUES DE BALTAZAR REBELO DE SOUSA, GOVERNADOR-GERAL, 1968

Filed under: Baltazar Rebelo de Sousa, Marcelo Caetano, PESSOAS, Salazar — ABM @ 17:07

Fotografia do IICT, restaurada.

Para ver a fotografia em tamanho maior, prima duas vezes na imagem com o rato do seu computador.

Baltazar Rebelo de Sousa (1921-2002) foi nomeado ainda por António de Oliveira Salazar como Governador-Geral de Moçambique, à chegada a Lourenço Marques, 1968.

Reproduzo uma nota publicada no Correio da Manhã aquando da sua morte em 2002, editada por mim:

Baltazar Rebelo de Sousa foi governador de Moçambique entre 1968 e 1970, tendo desenvolvido um percurso político próximo de Marcelo Caetano. Desempenhou funções de comissário nacional da Mocidade Portuguesa e de subsecretário de Estado da Educação de Marcelo Caetano. Foi ainda ministro dos Assuntos Sociais e das Corporações e Previdência Social. Uma das figuras mais destacadas do Estado Novo, Baltazar Rebelo de Sousa assumiu-se desde cedo como um reformista do regime fundado por Oliveira Salazar, deixando marcas nas políticas nacionais de saúde e, sobretudo, na africana. Desempenhou o cargo de governador-geral de Moçambique entre 1968 e 1970, tendo impulsionado a “africanização” do regime na ex-colónia portuguesa. A visão estratégica que evidenciou então viria mais tarde a ser elogiada pela própria Frelimo.

Durante o ano e meio que passou em Lourenço Marques, hoje Maputo, era regular o convívio que mantinha com escritores, artistas plásticos e musicólogos moçambicanos, como Malangatana, José Craveirinha e Garizo do Carmo, procurando igualmente um contacto próximo com os cidadãos mais desfavorecidos.

Regressado a Portugal, acumula os ministérios das Corporações e Assistência Social e da Saúde e Assistência, seguindo uma política de alargamento da rede de cuidados médicos e melhoria das estruturas hospitalares. Um conjunto de medidas que o situaram na “esquerda” do regime.

Em 1973, Marcelo Caetano, incontornável referência no percurso político de Baltazar Rebelo de Sousa, nomeia-o ministro do Ultramar, cargo que desempenhava aquando do 25 de Abril de 1974.

Após a “Revolução dos Cravos” exilou-se no Brasil em Junho de 1974, onde permaneceu durante 17 anos.

A ligação de Baltazar Rebelo de Sousa a Marcelo Caetano começou muito antes de este último assumir a chefia do Governo. Em Setembro de 1968, ambos integraram o influente “grupo da Choupana”, uma tertúlia de elementos ligados ao regime mas com perspectivas críticas em relação à política de Salazar.

E quando Marcelo Caetano é nomeado ministro das Colónias, Baltazar Rebelo de Sousa, ainda universitário, assume funções de seu secretário. A sua participação no Governo inicia-se em 1955, aos 34 anos, quando é nomeado subsecretário de Estado da Educação Nacional, cargo que desempenha até 1961. (fim)

11/01/2011

MARCELO CAETANO EM “CONVERSAS EM FAMÍLIA”

Filed under: Marcelo Caetano, PESSOAS — ABM @ 21:49

SÉRIE PESSOAS

MARCELO CAETANO EM "CONVERSAS EM FAMÍLIA"

MARCELO CAETANO

Filed under: Marcelo Caetano — ABM @ 21:41

SÉRIE PESSOAS – SUCEDEU A OLIVEIRA SALAZAR.

MARCELO CAETANO, PRESIDENTE DO CONSELHO EM PORTUGAL ENTRE 1968 E 1974

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: