THE DELAGOA BAY WORLD

05/07/2018

LISBOA A SEDE MUNDIAL DOS MUÇULMANOS ISMAELITAS A PARTIR DE HOJE

Imagens copiadas com vénia do Ismaili, um sítio da comunidade ismaelita.

É o corolário de uma relação peculiar e à partida implausível, que começou há quase cem anos em Moçambique colonial, quando membros da comunidade ismaelita, vindos da Ásia, começaram a estabelecer-se naquele território sob ténue administração portuguesa. Aquando da quase súbita transferência de poder para a Frelimo, muitos fizeram as malas e foram viver para Portugal, onde prosperaram na vida e nos negócios e se integraram na sociedade portuguesa. Hoje, 6 de Julho de 2018, o líder ismaelita, Sua Alteza o Aga Khan, chega a Lisboa para celebrar o 60º aniversário da sucessão ao seu Avô (o Sultão Mahomed Shah, Aga Khan III) e formalizar o estabelecimento da primeira sede mundial da comunidade ismaelita. Na capital portuguesa espera-se a vinda de cerca de 60 mil seguidores ismaelitas, vindos de todo o mundo. A maior parte dos ismaelitas portugueses recorda-se de Moçambique e muitos mantêm ainda laços afectivos e de sangue com o País, para além dos esforços desta comunidade em apoiar um conjunto de actividades para apoiar os moçambicanos.

 

Assinatura, em 2015, do convénio formalizando o estabelecimento da sede mundial para a comunidade ismaelita.

 

Sua Alteza o Aga Khan discursa perante os então primeiro-ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, 3 de Junho de 2015.

 

O luxuoso Palácio Henrique Mendonça, no centro de Lisboa, que a partir desta semana formaliza o centro do mundo ismaelita.

 

Nazim Ahmad, Coca-Cola de gema, representa Sua Alteza o Aga Khan em Portugal e supervisiona a cooperação com Moçambique. Aqui, a observar as obras no Palácio.

 

Sua Alteza o Príncipe Aly Khan, Pai do actual Aga Khan, em Lourenço Marques, 1957. Faleceu num acidente em 12 de Maio de 1960.

 

Mais uma imagem do Pai do Aga Khan em Lourenço Marques, 1957.

22/06/2012

RITA HAYWORTH E O PRÍNCIPE ALI KHAN EM MOÇAMBIQUE NO SAFARI DE CHAMPANHE, 1949

Após o casamento de Rita Hayworth em Maio de 1949 com o Príncipe Ali Khan em Cannes, França, o casal fez uma espécie de lua-de-mel em África, que incluiu Moçambique. Na ocasião, uma equipa de filmagens acompanhou-os para fazer um documentário em filme a que se chamou “Champagne Safari”. Na verdade a viagem foi um desastre e a actriz abandonou o percurso e regressou aos Estados Unidos. Alguns meses mais tarde divorciou-se. O documentário mesmo assim foi feito e retrata o que foi. É deprimente ver. Em baixo, com vénia para o excelente blogue Petromax, reproduzo algumas fotografias daquele tempo.

Rita nos tempos em que filmou Gilda.

Hayworth numa foto de publicidade.

Rita nos Estados Unidos.

Rita e o Príncipe Ali Khan na altura do seu casamento, 1949.

Segundo o patrão do blogue Petromax, foi neste De Havilland que o casal viajou para o Lumbo, em Moçambique.

Rita Hayworth no Aeroporto do Lumbo.

Rita e Ali na ponte cais do Lumbo, junto à Ilha de Moçambique.

Sua Alteza o Príncipe Aga Khan IV, em cima posando com um primeiro-ministro do Paquistão (onde seu pai em tempos foi embaixador) é filho do Príncipe Ali Khan e da sua primeira mulher, de origem britânica.

O Senhor Raposo, primeiro à esquerda, recebeu o distinto casal no seu hotel no Lumbo.

E aqui, o final do tal documentário, Champagne Safari“:

A VISITA DE SUA ALTEZA O PRINCÍPE ALI KHAN A LOURENÇO MARQUES, MARÇO DE 1957

Filed under: Ali Khan - Príncipe Ismaelita em LM — ABM @ 20:20

A presença de uma comunidade ismaelita em Moçambique justificava a atenção dada à então província portuguesa, por parte da sua liderança. Aliás é célebre um outro episódio da vida deste Príncipe, que, tendo casado em segundas núpcias no final de Maio de 1949 com a actriz norte-americana Rita Hayworth, passou com ela parte da sua patentemente desastrosa lua de mel em Moçambique. Rita odiou quase tudo o que viu e porque passou e assim que pôde voltou para os Estados Unidos para se divorciar. Ainda deu para voar até ao Lumbo e dar umas voltas lá pelas redondezas. Mais tarde, quebrando uma tradição na sucessão hereditária de quase 1300 anos, o seu pai, o sábio Aga Khan III, proclamou que o seu sucessor como líder espiritual dos Ismaelitas seria o filho mais velho de Ali Khan, Karim, (e da sua primeira mulher, a britânica Joan Guiness) com o nome de Aga Khan IV. Ali Khan faleceu em 1960. A comunidade Ismaelita mantém uma presença dinâmica e frutífera em Moçambique até esta data.

O Príncipe em Lourenço Marques, Março de 1957.

Sua Alteza com membros da comunidade Ismaelita de Lourenço Marques. Se alguém souber alguns nomes das personalidades aqui retratadas, agradeço que envie uma nota para aqui.

O Príncipe analisa um livro.

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: