THE DELAGOA BAY WORLD

25/08/2017

CÉDULAS DE TROCO DE LOURENÇO MARQUES, DÉCADAS 1910-1920

Após a mudança da moeda oficial portuguesa do Real para o Escudo, na sequência do golpe de Estado que derrubou a Monarquia em 5 de Outubro de 1910, e com o advento da Grande Guerra Mundial (1914-1918) e as carências daí resultantes e também das dificuldades dos (muitos) sucessivos governos republicanos, houve crises de disponibilização de trocos nas cidades portuguesas, incluindo as suas cidades coloniais como a pequena Lourenço Marques. Para lidar com essa situação, as empresas, municipalidades e outras entidades, recorreram à criação de “cédulas de troco”, uma espécie de papel-moeda alternativo, para o fim específico de apoiar as suas operações monetárias. Esta prática durou alguns anos, até o governo ter a capacidade de disponibilizar trocos.

Em baixo, alguns exemplos de Lourenço Marques.

(Nota: um Centavo equivale a um por cento de um Escudo)

 

Cédula da Associação Chinesa de Lourenço Marques, no valor de cinco centavos.

 

Cédula do Bazar de Lourenço Marques no valor de dois centavos.

 

Cédula da Cooperativa Popular em Lourenço Marques, no valor de cinco centavos.

 

Cédula da empresa Tramways Eléctricos de Lourenço Marques, no valor de um centavo. A TELM operou na Cidade entre 1904 e 1936, quando Paulino dos Santos Gil introduziu o serviço de transporte por machimbombos.

 

Cédula da empresa Tramways Eléctricos de Lourenço Marques, no valor de dois centavos.

 

Cédula da empresa Tramways Eléctricos de Lourenço Marques, no valor de 2.81 centavos, o equivalente a um bilhete.

 

Cédula da empresa Tramways Eléctricos de Lourenço Marques, no valor de três centavos.

 

Cédula da empresa Tramways Eléctricos de Lourenço Marques, no valor de cinco centavos.

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: