THE DELAGOA BAY WORLD

01/09/2017

AS ESTAÇÕES DE BOMBEIROS DA BAIXA E DO ALTO MAÉ EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

 

A estação de bombeiros da Baixa de Lourenço Marques nos anos 50, na esquina da Av da República em diagonal em relação ao Hotel Tivoli, no preciso local onde mais tarde se construiu o Edifício 33 Andares. A principal na Cidade, foi desactivada em meados dos anos 60. Atrás, a Casa Hillman.

 

A estação de bombeiros no Alto-Maé, na Avenida Pinheiro Chagas, numa imagem recente, situada mesmo em frente ao Cemitério de São Francisco Xavier. Com a sua inauguração e a desactivação da estação da Baixa, passou a ser a principal da Cidade a partir dos anos 60.

 

 

Anúncios

23/08/2017

INTERIOR DA ESTAÇÃO DE BOMBEIROS DE LOURENÇO MARQUES, FINAL DOS ANOS 60

Filed under: LM Bombeiros 1970s, LM Prédio 33 Andares — ABM @ 16:34

Esta estação ficava localizada na Avenida Pinheiro Chagas, em frente ao Cemitério de São Francisco Xavier, a caminho do Alto-Maé, em Lourenço Marques. A anterior estação ficava situada na Baixa da Cidade, onde posteriormente se edificou o Prédio 33 Andares.

 

O interior da Estação dos Bombeiros de Lourenço Marques, anos 60.

06/10/2013

O PRÉDIO DE 33 ANDARES EM LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DE 1974

Filed under: LM Prédio 33 Andares, Nuno Pires fotografia — ABM @ 21:31

Foto do Nuno Pires.

 

O Prédio de 33 Andares na Baixa de Lourenço Marques, no final do 1º semestre de 1974. Na altura era o edifício mais alto de Portugal.

O Prédio de 33 Andares na Baixa de Lourenço Marques, no final do 1º semestre de 1974. Na altura era o edifício mais alto de Portugal. Se fosse hoje, ainda seria. O edifício seria concluído já depois da Independência.

11/11/2012

A AVENIDA AUGUSTO CASTILHO E A RESIDÊNCIA DE POTT EM LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DO SÉC. XX

A Avenida Augusto Castilho em Lourenço Marques, início do Século XX. À direita, a sumptuosa residência dO Cônsul Pott, depois Museu Provincial, tribunal e hoje assento do Tribunal Constitucional de Moçambique. No mato a seguir à casa fez-se o Jardim Vasco da Gama (mais tarde Tunduru). Por detrás do mato à esquerda fizeram-se anos mais tarde o Desportivo, a Câmara Municipal e ao fundo da rua do lado esquerdo o Prédio 33 Andares. Reparem que a praia começava onde hoje se situa o Hotel Tivoli.

 

A mesma casa de cima, aqui em meados dos anos 1920, num dos postais clássicos da Colecção Rufino. Nesta altura era o Museu Provincial, que mais tarde foi transferido para o Museu Álvaro de Castro (hoje o Museu de História Natural).

 

11/02/2012

A BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, FINAL DOS ANOS 1960

Fotografia do IICT, restaurada.

Vista aérea da baixa de Lourenço Marques, final dos anos 1960. A avenida que se pode ver é a Aveinda da República (actualmente Av. 25 de Setembro). Em primeiro plano pode-se ver o terreno onde de seguida foi edificado o Edifício dos 22 Andares, que em 1974 era o mais alto em qualquer território administrado por Portugal. A lista do que se pode ver aqui não termina quase: a Biblioteca Municipal (hoje Nacional), os Correios, Hotel Tivoli, etc etc.

28/12/2011

A CIDADE DE MAPUTO, PRINCÍPIO DOS ANOS 1980

Fotos do Rui de Sousa Camposinhos.

 

Para ver no tamanho máximo, prima duas vezes na imagem com o rato do seu computador.

A Igreja de Santo António da Polana.

Vista da Cidade. Mesmo em frente, a antiga sede da polícia.

O Edifício 33 Andares e arredores.

Mais um plano da Cidade.

A 24 de Julho, em frente ao antigo Teatro Manuel Rodrigues, atrás da Câmara Municipal.

O mesmo ângulo na 24 de Julho. Naquela altura, quase não havia trânsito na Cidade e vivia-se o início da Era do Carapau e do Repolho.

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: