THE DELAGOA BAY WORLD

SOBRE ESTE BLOGUE

O The Delagoa Bay World  é um de três blogues que vou mantendo, buscando reunir imagens e informações que permitam a quem tenha interesse, poder ver imagens e conhecer melhor a realidade actual e passada de Moçambique. Sendo um blogue de assinatura, é  um trabalho que reflecte décadas de interesse pessoal nos tópicos abordados, criado para partilhar esse interesse com quem o visite.

Os outros dois blogues são o The Delagoa Bay Company, sobre desporto em Moçambique (de momento muito enfocado no período antes da Independência de Moçambique, mas sem essa restrição) e o The Delagay Bay Blog, um blogue mais diversificado de comentário da actualidade moçambicana, portuguesa e mundial.

Todos os seus conteúdos podem ser partilhados, mediante consulta do seu índice, ou através de um motor de pesquisa, pedindo apenas que seja referenciada a sua origem para maior precisão, e podem ser comentados directamente. O contacto directo é bcaluanda@gmail.com

No seu conjunto, são uma modesta homenagem ao país onde nasci e cresci e a um povo que aprendi a respeitar e cujo destino sempre acompanhei com interesse.

António Botelho de Melo

38 comentários »

  1. Parabens e obrigado Antonio, é um excelente trabalho, um blog interessantissimo, cujo conteudo venho descobrindo desde ha pouco. Fotos de grande qualidade e em grande parte inéditas. Informações escritas muito completas e esclarecedoras. Merece ser divulgado, nomeadamente no seio da comunidade dos luso-moçambicanos. É igualmente uma contribuição importante para enriquecer e manter viva a memoria da presença dos portugueses em Moçambique. Suponho que uma parte do material, em particular fotografico, resulta de contribuições de pessoas que viveram em Moçambique ou familiares. Espolio magnifico. O ideal seria que houvesse ainda mais comentarios escritos aos posts. Virão aos poucos. Continua nesta senda e um grande abraço. Fernando

    Comentar por Fernando Sampaio — 11/04/2012 @ 10:05

    • Muito obrigado pelo comentrio Fernando, tento obter imagens ilustrativas, tanto quanto possvel contextualizadas, das pessoas, dos eventos, to fielmente quanto possvel, contando para isso no s com as ocasionais pesquisas, mas tambm com os comentrios e outros contributos de quem tem o interesse em ver e ler estas coisas. Para alm de (espero) ser uma experincia divertida e enriquecedora, tento reunir aqui matria que pode, de alguma forma, e sob o mesmo tecto, ilustrar uma realidade que ou se encontra imensamente dispersa, s vezes oculta, de um conjunto de experincias colectivas e individuais que fazem parte das histrias de no s as pessoas e as suas famlias, mas tambm de povos e pases. Grato e c estarei…. ABM

      Comentar por Antonio Botelho de Melo — 11/04/2012 @ 11:42

    • Sublime este Blog. Parabéns!!!

      Comentar por Paulo Lagoa — 03/09/2014 @ 03:45

  2. boas, encontro-me a escrever um artigo sobre um bar, tasca, cervejaria, restaurante ou pastelaria que se chamava laurentina – hoje califórnia, penso. podem ajudar-me com elementos sobre o sítio? tks

    Comentar por jorge oliveira — 01/07/2012 @ 12:19

  3. Muito meritório este blogue! Sou natural de Lourenço Marques e devo dizer que me emocionei quando vi as fotos antigas aqui publicadas, Logo me recordei das fotos que o meu falecido pai tirou em LM e em Boane (a minha primeira residência após ter nascido no Hospital Miguel Bombarda) nos anos 50. Vou seguir este blogue, e aproveito para felicitar o seu autor! Deixo aqui uma ideia – posso digitalizar fotos que possam interessar numa perspectiva histórica, não exclusivamente familiar, e enviar ao autor. Caso veja interesse, pode publicar à vontade. Antes disso terei que examinar o espólio para conferir se de facto existem fotos que se enquadrem nessa ideia. Aguardo a sua opinião. VO

    Comentar por Vitor Oliveira — 12/01/2013 @ 20:49

    • Sr Vitor Oliveira, agradeço o comentário, a ideia é tentar reunir num sítio onde se possa fazer consulta e análise, informações sobre algum do passado e presente de Moçambique. É apenas um hobby meu, mas com o tempo vai-se tornando mais … denso. Agradeço a sua proposta e gostava de referir que muito do que faço depende da carolice e boa vontade de pessoas como o senhor. Se digitalizar e me enviar os materiais que tiver, especialmente se devidamente anotados com os comentários que considerar adeaquados (enviando para o endereço bcaluanda@gmail.com) colocarei aqui, dando como fonte a sua pessoa ou quem indicar. Aliás basta passear por aqui e percebe-se como a casa funciona. Grato e um abraço moçambicano… ABM

      Comentar por ABM — 26/01/2013 @ 17:14

    • Boa noite António.

      Queria tanto ver fotos de Angoche, antiga António Enes, estive lá a trabalhar no ano de 1986 (muito dor – malária grave- e de ver o sofrimento daquelas pessoas e nós sem recursos, mas aquela beleza tudo apagava, tudo apaziguava)… e a praia de Angoche não me saí do pensamento, 8 kms de praia (o corpo que sente aquelas areias e aquela água, já não fica igual), ao por do sol fazendo a praia de carro era uma multidão de caranguejos à nossa frente a correr em duas patas… sem palavras, não tenho deixado que a memória se apague, mas o tempo é “ingrato” via desvanecendo as imagens…As estradas não estavam transitáveis, não conheci praticamente nada, a não ser Nampula, e a Beira para além de Maputo claro. Se souber de alguma informação sobre aquelas paragens, fico agradecida. AM

      Comentar por Amália Mendes — 20/02/2013 @ 22:47

    • Vou tentar Amália…. ABM

      Comentar por ABM — 22/02/2013 @ 01:14

  4. Fascinante e muito valioso. Haverá um museu ou um livro com todas estas imagens e a sua história?

    Comentar por Valerio — 30/04/2013 @ 20:51

    • Não, Valério. Só aqui…. ABM

      Comentar por ABM — 06/05/2013 @ 23:07

  5. Caro António, deixo-lhe o link para uma página com imagens da minha colecção que lhe poderão interessar e que pode utilizar, querendo, neste seu blog.
    Algumas das imagens estão já identificadas, mas outras ainda não. Trata-se de uma colecção encontrada na feira da ladra da Porte de Clignancourt, em Paris, há alguns anos atrás com uma série de fotografias tiradas entre 1889 e 1891 por Manoel Romão Pereira, durante a expedição photographica Marianno de Carvalho à Colónia de Moçambique.

    Comentar por Francisco Villa-Lobos — 12/05/2013 @ 16:03

    • Francisco, só vi agora e estou…boquiaberto, Obrigado. Vou copiar e limpar e colocar aqui com o seu nome no topo. Estou familiarizado com a “expedição” de Marianno de Carvalho a Moçambique (a expedição não era “fotográfica”, ele foi enquanto Comissário Régio do BNU mas levou o Romão a reboque, o que foi uma excelente ideia…) e com algum do trabalho do Romão, mas nada com esta qualidade. Parabéns pela aquisição em Cligancourt, é um património a preservar…. Eu depois dou conta aqui no blogue quando meter. Fico muito grato pela atenção, adoro ver estas coisas (acho que já deu para perceber) e penso que aqui o seu visionamento terá uma outra lógica e valorizará esse precioso espólio do passado de Portugal e de Moçambique. António

      Comentar por ABM — 16/05/2013 @ 18:28

  6. Muito iteressante, estou sem palvras O PASSEIO DOS TRISTES ou melhor “A VLTA DOS TRISTES. Mário Laia

    Comentar por ABM — 13/06/2013 @ 17:33

    • Um abraço até aí Mário, passea-te aqui que há muito mais. ABM

      Comentar por ABM — 13/06/2013 @ 17:56

  7. Quando no Google escrevi o meu nome-Raúl Curado- foi por acaso que descobri que havia uma referência a mim em relação à prática de paraquedismo em Lourenço Marques. Enviei este contato a todos os meus antigos colegas do Aero Clube de Moçambique que praticavam essa modalidade – Paraquedistas de Mocambique- e – Aero Clube de Mocambique- que hoje estão um pouco espalhados por esse mundo fora. Desde a minha saída de Mocambique, em 1975,que vivo em Johanesburgo. Parabéns pelo excelente trabalho que aqui apresenta.

    Comentar por Raul Curado — 10/01/2014 @ 20:40

    • Obrigado pela simpática mensagem Raúl. Dá maningue trabalho mas penso que vale a pena, nem que seja para causar estas “surpresas” que espero sejam agradáveis. Se o Raúl ou os amigos tiverem boas fotograqfias que queiram partilhar, é só mandarem para mim que eu faço o que já ando a fazer aqui. Um abraço, ABM

      Comentar por ABM — 10/01/2014 @ 21:22

  8. Olá António,

    Sempre venho ao seu blog quando preciso ver uma foto antiga de Maputo. Nunca saí decepcionado. Tem um arquivo excepcional, e de extrema relevância para o cidadão maputense de hoje, que está em geral menos sensível à enorme riqueza que tem a sua cidade, infelizmente. Alguma vez pensou em fazer uma exposição ou livro com este material? Podia-se procurar tirar fotos de aproximadamente os mesmos pontos para fazer um antes-e-depois, entre outras coisas interessantes com base no seu arquivo.
    Só para me apresentar, sou arquitecto/urbanista e tenho uma grande paixão por Maputo e a Baixa em particular. Participei em 2011/2012 da realização da exposição “Maputopia”, e gostaria de em algum momento dar continuidade ao trabalho então iniciado.

    Cumprimentos, e novamente muito obrigado por este trabalho.

    Remígio

    Comentar por Remígio Chilaule — 12/05/2014 @ 18:30

    • Caro Remígio, agradeço a simpática mensagem. Pouca gente constata que, mais que para as gerações passadas e presentes, que viveram o passado e o presente e muitos dos quais gentilmente contribuíram e contribuem na compilação deste pequeno blogue, este trabalho destina-se a quem no presente e no futuro não tenha conhecido esse passado, e o queira interpretar de forma livre e independente. Penso que aqui encontrarão material que poderá ajudar a fazer essa reflexão. O projecto de que fala é interessante e penso que os materiais aqui reproduzidos poderão ser uma ajuda. Um abraço, ABM

      Comentar por ABM — 20/05/2014 @ 13:24

  9. Olá António,

    Decobri este blog quando pesquisei o nome da minha família (Cardiga) e descobri muitas coisas que não sabia sobre ela. Nunca tinha pensado que tivesse tido um prédio e tanta importância em Maputo. Já agora queria informar que, se não souber, o meu avô, Guga Cardiga, faleceu infelizmente no passado verão.

    Cumprimentos, Pedro Cardiga

    Comentar por Pedro Cardiga — 06/06/2014 @ 22:22

    • Olá Pedro, bem-vindo! sei infelizmente do falecimento de teu Avô, um grande homem. Fico contente de te ter “passado” essa informação do Prédio Cardiga, sim uma grande obra, mas mais importante – porque presumo não saibas em primeira mão – o bom nome e reputação da Família Cardiga de Moçambique. Gente boa, gente trabalhadora e com capacidade, muito respeitada e que fez obra. Um abraço, António

      Comentar por ABM — 06/06/2014 @ 22:39

  10. Como lhe posso enviar material para o blog?

    Comentar por Pedro A. Pinto — 22/10/2014 @ 21:44

    • Boa noite Pedro Pinto, peço desculpa de lhe responder apenas agora. Por favor envie fotos com a maior resolução possível e quaisquer comentários a acompanhar para bcaluanda@gmail.com . Fico grato se tiver que ver com os temas que trato aqui (essencialmente, tudo o que tem que ver com Moçambique). Um abraço, ABM

      Comentar por ABM — 11/11/2014 @ 22:45

  11. Estimado ABM:
    Embora seja natural de Angola e tenha ido a Moçambique apenas duas vezes (em 1971 e 1973), há bastante tempo que sigo o seu blog. É admirável a forma como tem vindo a preservar a memória da sua “pequena tribo branca da África Oriental” (perdoe-me se a citação não é correta, o cuidado com que mantém vivos imagens e factos do dia a dia que talvez já tenham desaparecido até da memória de quem os viveu. Entretanto, o tempo vai-se encarregando de pôr termo à sua pequena tribo e à viveu na contracosta. Um dia destas, talvez não reste de ambas mais do que uma vaga recordação de uma gente que apareceu por aí a roubar “os nossos empregos”, depois de ter por lá andado a roubar pretos e que ainda por cima encheu o ilustre torrão lusitano de drogas, formigas, baratas e outros animais esquisitos. E ainda por cima tinham portas blindadas em casa, para guardar os tesouros que de lá trouxe. Se partirmos do princípio que as formigas e as baratas faziam parte de algum projeto maquiavélico de guerra bacteriológica, a coisa assume as proporções um crime, mas em nome dos brandos costumes façamos de conta que não chegaram a tanto. Está tudo em “Voltar”, de Sarah Adamopoulos.
    Além disso, escreve bem. Porém, devo confessar que frases que ocupem mais de meia folha A4 e em que não haja vírgulas e pontos finais, ou quem que estes sejam substituídas por aquelas, ultrapassam as minhas reduzidas capacidades intelectuais e o meu baixo nível cultural, de modo que isto que pretende ser um elogio talvez acabe por ser entendido precisamente como o contrário. Mas é. Tal como para o rigor que imprime aos seus textos e ao seu sentido de humor.
    Assim, faço votos para que o seu The Delagoa Bay tenha uma longuíssima vida. E não deixaria de ser uma falta imperdoável desejar-lhe a si votos de felicidades pessoais e deixar de lhe agradecer os óptimos momentos que me tem proporcionado (e pelo que vejo a muita mais pessoas).
    Cumprimentos
    José F. Pinto

    Comentar por José Armindo C. F. Pinto — 11/11/2014 @ 22:25

    • José Pinto, realmente o seu é um elogio que me deixa algo preocupado – mas que revela conhecimento de causa, inclusivé dos meus principais defeitos na escrita (garanto-lhe que a escrever inglês sou dramaticamente contido por comparação com as descorrências em língua portuguesa). Fico muito grato pela sua nota e pelo – ainda que dúbio, se bem disposto – “apoio moral”. Fique a ver, há mais para vir, esta é uma obra de amor mas também de registo, que espero me sobreviverá e que por variadas razões, poderá ser interessante, ilustrativa, relevante, ou meramente uma curiosidade de sábado à noite, para quem encontrar o blogue. Um abraço, tentarei acertar nas vírgulas e nos pontos e escrever parágrafos que o deixem respirar. ABM

      PS – Corrigi o seu texto, entre outros, estava “filha A4”. Sei que queria dizer “folha” 🙂

      Comentar por ABM — 11/11/2014 @ 22:41

    • António, se estivéssemos na Inglaterra diria que o senhor é um verdadeiro Gentleman. Obrigado por tudo que faz neste blog, e pela maneira delicada como trata os comentários que não o são tanto. Não o conheço mas é uma referência para mim. Continuo a seguir o blog. Abraços

      Comentar por Rem Chilaas — 01/02/2015 @ 00:30

  12. Estimado ABM
    Peço desculpa se o apoio moral lhe pareceu dúbio: é total. E também me desculpo quanto à questão dos pontos e das vírgulas e ao tamanho dos parágrafos, se de alguma forma ficou a julgar que a crítica foi negativa! Ainda bem que escreve como o faz. Vírgulas em lugares de pontos, pontos em lugares de vírgulas e frases do tamanho de uma folha A4 são praga que até a jornais e revistas já chegou. Sabe-se lá de onde veio tal hábito, moda ou o que lhe quiser chamar, mas se são padrão de qualidade, em mim têm dois terríveis efeitos. O primeiro, o de hesitar em comprar o que é nacional em matéria de livros e revistas, com o terrível impacto que isso tem para as editoras e, bem pior que isso, para o crescimento do PIB. O segundo, de duvidar das minhas já de si escassas capacidades intelectuais, isto para não falar da minha capacidade de opinar em relação ao que leio, de modo que qualquer elogio que nisso possa fazer possa ter o efeito contrário. E, de resto, quem sou para o criticar, se nem um teclado sei controlar devidamente ?
    Entretanto, cá estarei para o seguir, no que tiver de novo para nos dar e no que já escreveu e ainda não tive ocasião de ler.
    Um abraço
    José F. Pinto

    Comentar por José F. Pinto — 16/11/2014 @ 20:43

  13. Caro ABM,
    Sou de Maputo, e confesso que o único lugar que tive o privilégio de ver muitas fotos e fascinantes de Lourenço Marques foi no seu blogue. Parabéns pelo conteúdo rico e educativo. Já percebi que tem aqui muitos tópicos e muitas fotos, vou com certeza continuar a explorar ainda mais estes conteúdos.
    Kanimambo (obrigado!).

    Humberto R. Pelembe

    Comentar por Humberto Pelembe — 16/01/2015 @ 10:20

    • Caro Humberto, agradeço a simpática mensagem, a minha ideia para este blogue é em boa parte constituir um sítio na internet onde qualquer pessoa interessada (especialmente que está em Maputo 🙂 )possa recolher imagens e fotos relativas ao passado e presente de Moçambique, neste momento com algum enfoque no passado pois as pessoas estão a ficar velhas e as fotos perdem-se. Aproveite e divirta-se. ABM

      Comentar por ABM — 25/01/2015 @ 23:33

  14. Ao autor do blog. os meus parabéns pela iniciativa e pelo excelente trabalho. as novas gerações procuram saber muito o passado e por vezes não tem onde se informar. é uma honra ter este espaço a disposição, espero que ele nunca saia do Ar. espero que continue investigando mais e anexando mais fotografias.

    Comentar por Agnaldo Bata — 16/01/2015 @ 10:22

    • Obrigado Agnaldo. Ainda por cá ando…. inscreva-se aqui e irá recebendo o que for publicado directamente – e de borla… ABM

      Comentar por ABM — 25/01/2015 @ 23:30

  15. Obrigada por toda a informação que nos tras, atravez deste seu trabalho… A História da nossa Terra Lçº Marques e Beira para outros, onde tambem vivi 1961 a 1966. mas sem duvida nenhuma um pouco da nossa história pessoal, sitios vividos com uma juventude feliz e muita solariedade… Bem Haja…

    Comentar por Maria delfina F, de Miranda Coelho — 19/01/2015 @ 15:24

    • Obrigado pela simpatia, Maria Delfina. ABM

      Comentar por ABM — 25/01/2015 @ 23:28

  16. Parabéns pelo seu blog! Procuro informação sobre Gabriel Maurício Teixeira, que foi Governador de Moçambique entre 1948 e 1958, mas nada encontrei no motor de pesquisa. Por acaso tem alguma informação relacionada com esta governação? Muito obrigada.

    Comentar por Fernanda Paraiso — 09/07/2015 @ 16:08

    • Olá Fernanda, Infelizmente pouco ou nada se escreveu sobre os mandatos dos governadores mas pesno que o espólio pessoal de Gabriel Teixeira está na Biblioteca Nacional de Portugal em caixotes. De resto a minha sogra que conviveu com esses tempos diz coisas interessantes e irrepetíveis aqui sobre ele. Abraço ABM

      Comentar por ABM — 26/10/2015 @ 21:46

  17. Interessantíssimo blog! Descobri por acaso, ao fazer pesquisa sobre o paquete Império que levou os meus pais para LM em finais da década de 50.Também nasci em LM/Maputo e estou fascinada ao rever a história deste país e desta cidade em especial. Obrigada pela partilha, força para continuar!

    Comentar por Isabela da Costa Ferreira — 26/11/2015 @ 17:16

  18. Boa tarde,

    O meu avô foi administrador de posto em Moçambique, e recorda em muitas conversas o posto da Matola, junto ao Rádio Clube.

    Gostaria que ele entrasse em contacto com quem lá esteve, pois acredito que iria dar-lhe anos de vida.

    O nome dele é Sérgio Teixeira, a esposa é Zélia Teixeira e as filhas são a Luísa e a Fátima.

    Certamente que ele se recordará de algumas fotos e memórias aqui retratadas.

    Aguardo um contacto.

    Agradecido

    Comentar por Vítor Mendes — 15/03/2016 @ 10:58

  19. José Miguel L. da Cunha e Costa foi nadador em Moçambique em 1960… A fim de poder corresponder a um pedido de um amigo que faz parte da Tuna Académica da Universidade de Coimbra que procura algum descendente de uma família Cunha e Costa, relacionado com um antepassado que fez parte dessa Tuna da Univ. de Coimbra, venho solicitar se me podem informar se o referido José Miguel Cunha e Costa ainda será vivo, e onde poderá ser contatado. Grato pela melhor colaboração, Jorge Resende jbgresende@gmail.com

    Comentar por Jorge Resende, Caniço, Madeira — 15/08/2016 @ 22:23

    • Boa tarde Jorge,

      Eu não tenho essa informação mas fica aqui a sua questão, nunca se sabe quem a poderá responder…. abraço, ABM

      Comentar por ABM — 08/09/2016 @ 14:00


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: