THE DELAGOA BAY WORLD

26/06/2012

ESPORÃO DE ESGOTO NA PRAIA DA POLANA EM LOURENÇO MARQUES, 1948

Foto gentilmente cedida por Fernando Morgado, do seu pai, Alberto José Augusto Morgado.

 

Nem tudo era – nem é – rosas em Lourenço Marques, e agora Maputo. Aqui, um esporão na praia da Polana que levava o esgoto das casas em cima para o mar, em 1948. Que eu tenha conhecimento a única obra feita mais tarde leva o esgoto mais para a frente através de um cano subterrâneo. Mas um dia isto vai ter que acabar, se se quer salvar a Baía e a tornar de novo ambientalmente saudável.

Anúncios

AEROPORTO DE MAVALANE EM LOURENÇO MARQUES, 1942

Filed under: Alberto José Augusto Morgado, LM Aeroporto — ABM @ 04:02

Foto gentilmente cedida por Fernando Morgado, do seu pai, Alberto Morgado.

 

À entrada do Aeroporto de Mavalane, em Lourenço Marques, 1942.

O ESQUADRÃO DE DRAGÕES NO QUARTEL EM LOURENÇO MARQUES, 1939

Fotografia gentilmente cedida por Fernando Morgado, do seu pai Alberto José Augusto Morgado.

 

Os efectivos do Esquadrão de Dragões no Quartel em Lourenço Marques, 1939.

O PESSOAL DA 4ª ESQUADRA DE LOURENÇO MARQUES EM ALMOÇARADA NO DRAGÃO DE OURO, 1941

Fotografia gentilmente cedida por Fernando Morgado, do seu pai Alberto José Augusto Morgado.

 

Os efectivos da 4ª Esquadra em confraternização no Restaurante Dragão de Ouro em Lourenço Marques, 1941. O Dragão de Ouro ficava situado junto à praia onde agora fica o antigo Holiday Inn.

O PRIMEIRO ESQUADRÃO MOTORIZADO DOS DRAGÕES DE MOÇAMBIQUE EM LOURENÇO MARQUES, 1939

Fotografia gentilmente cedida por Fernando Morgado, do seu pai Alberto José Augusto Morgado.

 

O Primeiro Esquadrão Motorizado (atenção – motas Harley Davidson!) do Esquadrão de Dragões de Moçambique, em Lourenço Marques, 1939.

O ESQUADRÃO DE DRAGÕES EM MARRACUENE, 1940

Fotografia gentilmente cedida por Fernando Morgado, do seu pai Alberto José Augusto Morgado.

O Esquadrão de Dragões descansando no intervalo de uns exercícos em Marracuene, 1940.

A VISITA DO PRESIDENTE CARMONA A MOÇAMBIQUE, JULHO DE 1939

Fotografias gentilmente cedidas por Fernando Morgado, do seu pai Alberto José Augusto Morgado, que passou uma vida em Moçambique e conhecia o meu pai.

A fotografia do Marechal Carmona foi copiada e referenciada à Fundação Gulbenkian.

A  fotografia do então Ministro das Colónias foi desavergonhadamente copiada do sítio dos antigos colaboradores do BNU, que contém um excelente e revelador esboço biográfico de Francisco José Vieira Machado. A ligação a esse texto está mais abaixo.

Todas as fotos foram restauradas.

A guarda de honra junto do Cais Gorjão na segunda-feira, dia 17 de Julho de 1939, para o desembarque do Presidente e Marechal António Óscar de Fragoso Carmona, no que foi a primeira visita de um presidente da república à então colónia portuguesa. Foto de Fernando Morgado, cujo pai fazia parte da referida guarda.

O Esquadrão de Dragões desfila na Avenida da República em Lourenço Marques (actual Av. 25 de Setembro), aqui na esquina entre a Avenida da República e a Av. Dom Luiz (a actual Av. Samora Machel). Ao funo a Ponta Vermelha e à esquerda o Café Scala (que não se vê na fotografia).

Na viagem às colónias portuguesas e à África do Sul, que durou três meses mas cujo trecho em Moçambique decorreu entre 17 de Julho e 13 de Agosto de 1939, Carmona foi acompanhado pelo então Ministro das Colónias, Dr. Francisco José Vieira Machado, aqui a desembarcar, de cartola, em Lourenço Marques. Vieira Machado é uma figura importante na saga colonial e deve ser estudado.

Para um esboço biográfico do Dr. Francisco José Vieira Machado,sugiro a leitura do sítio do BNU que aborda o assunto (o Dr. Vieira Machado foi uma figura daquele banco e da banca durante décadas).

Quando Carmona desembarca em Lisboa pelo Cais das Colunas na Praça do Comércio, no dia 12 de Setembro de 1939, uma terça-feira, já a Europa se encontrava em guerra, após a invasão, pelo exército da Alemanha, da Polónia, ocorrida na madrugada do dia 1 desse mês. Carmona, normalmente considerado um fantoche do ditador Dr. António Oliveira Salazar, morreu em funções no dia 18 de Abril de 1951, tendo sido substituído pelo “moçambicanófilo” General Higino Craveiro Lopes, cuja mulher, Berta, era de Lourenço Marques, onde ele se casou no início dos anos 1920.

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: