THE DELAGOA BAY WORLD

16/09/2019

LOURENÇO MARQUES EM 1960 E EM 1887: UMA COMPARAÇÃO

Comparação feita por mim, a “olhómetro”.

 

A Baixa de Lourenço Marques cerca de 1960.

 

A- Definida pela linha cor de rosa, a antiga Enseada da Maxaquene, aterrada a partir de 1919; B – Definida pela linha a vermelho, a “ilha” que constituía o núcleo original da Cidade; C- Definido pela linha a verde, o Pântano que separava a “ilha” de (digamos) terra firme; 1- o aterro esteve quase intocado durante 40 anos, coberto por arvoredo; 2 – a antiga Câmara Municipal de Lourenço Marques em frente ao Desportivo, que originalmente ficava mesmo em frente à Praia da Câmara; 3- O Jardim Vasco da Gama, agora Tunduru, que tocava o Pântano a Sul; 4- O terreno na esquina da Avenida da República com a D. Luiz (hoje 25 Setembro com Samora Machel) onde ficava a estrada de acesso pelo Pântano ao núcleo original da Cidade; 5- O Presídio de Nossa Senhora da Concieção, que ficava directamente em frente à Baía; 6- A Praça 7 de Março (hoje 25 de Junho) originalmente Praça da Picota, o primeiro espaço público da Cidade; 7- A Avenida da República (hoje 25 de Setembro) coincide mais ou menos com a margem Sul do Pântano.

 

A Cidade em 1887. A verde azeitona, o Pântano. 

01/09/2019

LOURENÇO MARQUES EM 1974

Imagem retocada.

 

Lourenço Marques em 1974, foto tirada de cima do Prédio Montepio em direcção a Nascente. Interessante nesta imagem é poder ver-se claramente o quarteirão onde fica situado o Hotel Club. Por esta altura, à direita da casa na extrema da imagem (do lado direito também), já estaria implantada a Casa de Ferro.

11/08/2019

A CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, 1896

Filed under: Câmara Municipal de LM 1897, LM Câmara Municipal — ABM @ 19:13

Imagem retocada.

 

O edifício onde operava a primeira Câmara Municipal de Lourenço Marques 1896, antes de se mudar para o edifício em frente ao Desportivo. Penso que era alugado. Não sei bem onde ficava.

17/07/2019

A ACLAMAÇÃO DO REI DOM MANUEL II EM LOURENÇO MARQUES, 1908

Imagem retocada, da revista Ilustração Portuguesa, 1908.

 

As cerimónias fúnebres por D. Carlos I, assassinado com o seu filho o Príncipe Luiz Filipe, em Lisboa no dia 1 de Fevereiro de 1908, e a aclamação de D. Manuel II,  em frente à então Câmara Municipal de Lourenço Marques, 1908.

19/04/2019

A BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1920

Imagem retocada.

 

A Baixa de Lourenço Marques, ao fundo, década de 1920. À direita, a velha Câmara Municipal da Cidade, que hoje fica em frente ao Desportivo. Do lado esquerdo, um armazém que em 2016 ainda existia e que fica do outro lado da rua em relação ao actual Maputo Shopping Centre. E logo a seguir, a Capitania do Porto. O imenso espaço verde em primeiro plano é o Aterro da Maxaquene, levado a cabo entre 1919 e 1921. No meio desse espaço vê-se vagamente o então novo prolongamento da Avenida da República (actual Avenida 25 de Setembro) que ligaria a Baixa à futura Estrada Marginal. Ao fundo, pode-se ver a cúpula da estação de caminhos de ferro.

05/08/2018

A ANTIGA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, 1965

Grato ao PPT e ao AHM.

 

A antiga Câmara Municipal de Lourenço Marques, 1965. Por esta altura, já funcionava ali um tribunal. Fica mesmo em frente ao Desportivo na Baixa e é um dos grandes edifícios histórios da Cidade. Naquela altura, para se ir ao Desportivo só havia esta rua, que era a Avenida Álvares Cabral.

22/07/2018

A EQUIPA DE NATAÇÃO DE LOURENÇO MARQUES ANTES DE TORNEIO EM UMTALI, 1969

Grato ao PPT e ao AHM.

Em baixo, os nadadores de Lourenço Marques, que integraram a equipa que se deslocou a um torneio de natação na pequena Cidade de Umtali, perto da fronteira entre Moçambique e a então Rodésia, posam nas escadarias da Câmara Municipal de Lourenço Marques, durante uma cerimónia protocolar de apresentação de cumprimentos, antes da viagem, 17 de Janeiro de 1969.

 

A equipa de nadadores, treinadores, seccionistas, etc.

 

1- Leonel Gomes, treinador do Desportivo; 2- Victor Cerqueira(Desportivo); 3- ?, dirigente; 4- ?; 5- Francisco Matos Lopes, treinador dos Velhos Colonos; 6- Carlos Oliveira (Desportivo); 7- Júlio Ribeiro(Desportivo); 8- Eduardo Murinello (Velhos Colonos); 9- Henrique Sampaio (Velhos Colonos); 10- João Rocha (Velhos Colonos); 11- ?; 12- Dulce Gouveia(Desportivo); 13- Isabel Sá Chaves, dirigente; 14-Anabela Rosado Lopes(Velhos Colonos); 15- Clotilde Botelho de Melo(Desportivo); 16- Lídia Gouveia(Desportivo); 17- Anabela Gouveia.(Desportivo) Peço ajuda com os nomes que faltam, bastando para tal escrever uma nota para aqui.

 

A mesma imagem, aqui mostrando as meias longas….

 

O Engº António Duque Martinho, então o Presidente da Câmara Municipal de Lourenço Marques cumprimenta um nadador dos Velhos Colonos. Ao meio, o nadador do Desportivo, Júlio Ribeiro.

10/07/2018

A ESQUINA DAS AVENIDAS DA REPÚBLICA E D. LUIS EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 50

 

Na Baixa de Lourenço Marques, a esquina das Avenidas da República e Dom Luis I, anos 1950. Na altura a Avenida Dom Luis ainda era designada Avenida Aguiar. Actualmente, é designada Avenida Marechal Samora Moisés Machel.

08/04/2018

O PAIOL DE LOURENÇO MARQUES, CERCA DE 1900, FOTOGRAFADO PELOS LAZARUS

Esta imagem faz parte do álbum Views of Lourenço Marques, publicado por Joseph e Maurice Lazarus.

O paiol, onde eram guardados os explosivos e material militar, foi construído mais ou menos no mesmo local onde hoje estão as piscinas do Desportivo, em frente à antiga Câmara Municipal de Lourenço Marques (depois tribunal da Relação). Foi demolido cerca de 1919 e o terreno foi aplanado como parte do grande Aterro da Maxaquene.

xx

19/03/2018

A PRAÇA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE EM LOURENÇO MARQUES, 1970

Imagem de Alfredo Ginja, retocada.

 

A Praça Mouzinho de Albuquerque, cerca de 1970.

18/03/2018

A BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, CERCA DE 1970

Imagem de Alfredo Ginja, retocada.

 

A esquina da Avenida da República com a Rua Pêro da Covilhã, na Baixa de Lourenço Marques, cerca de 1970. No edifício à direita ficava o Restaurante Macau. Entre os dois edifícios à direita pode-se ver uma nesga do edifício do Tribunal da Relação, que foi a sede da Câmara Municipal entre 1910 e 1947. À direita da fotografia ficava o Sporting de Lourenço Marques e à esquerda o edifício da Fazenda. No terreno em frente era onde se instalavam anualmente os circos e o Luna Parque.

23/01/2018

A CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, FINAL DOS ANOS 1940

Filed under: LM Câmara Municipal — ABM @ 20:14

O edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques  foi projectado por Carlos César dos Santos, um arquitecto português que vivia há muitos anos no Brasil e cuja proposta foi a vencedora de um concurso público realizado para o efeito em 1937.

Anteriormente, entre 1910 e 1947, a Câmara estava sedeada no edifício na Baixa em frente ao Desportivo, que posteriormente passou a ser utilizado como um tribunal.

A sua inauguração em 1 de Dezembro de 1947 concluiu as grandes edificações naquela área, depois de demolida a antiga catedral e inaugurados o monumento de Mouzinho em Dezembro de 1935 e a Sé Catedral em Agosto de 1944.

A Câmara Municipal de Lourenço Marques, pouco depois da sua inauguração, Ainda não tinha na sua fachada aquelas duas estátuas de pedra branca que a Frelimo depois despachou porque enfim….

22/01/2018

O MONUMENTO A MOUZINHO DE ALBUQUERQUE EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1940

A implantação de uma praça em frente à então futura sede da Câmara Municipal de Lourenço Marques, incluiu a ideia da colocação ali de uma estátua evocativa de Mouzinho de Albuquerque, o enigmático e previamente obscuro major que em 1895 galvanizou o então pequeno Reino de Portugal ao prender o Régulo Gungunhana e assim eliminar o perigo da fragmentação (pelo Reino Unido e o Império da Alemanha) da nascente colónia que se veio a transformar no que hoje é Moçambique.

 

O monumento a Mouzinho, na Praça com o mesmo nome, em Lourenço Marques, anos 40.

Já em 1916 foi constituída uma comissão para se fazer uma estátua, que pelos vistos fez pouco ou nada durante quase vinte anos. Em 1928, só havia conseguido um terço dos fundos necessários para encomendar uma estátua e o resto dos fundos foi conseguido por uma doação de 45o contos do governo provincial em 1935.

O concurso da obra é ganho pelo projecto “África”, do arquitecto António do Couto e o escultor José Simões de Almeida (sobrinho).

Em 1936, realizou-se a cerimónia do lançamento da Primeira Pedra do monumento, que só viria a ser inaugurado com pompa no dia 28 de Dezembro de 1940, um Domingo e no dia do 45º aniversário da captura de Gungunhana por Mouzinho, em Chaimite.

Cito Gerheij: “A importância investida na Praça Mouzinho, a única praça que recebe a qualificação de “monumental”, é confirmada pela construção dos novos Paços do Concelho, prevista nela desde finais dos anos 20. Em 1931 decide-se levantar também aí a nova Catedral. Só a partir de 1935 os vários projectos vão ser implementados, devido,
porventura, à crise e à reestruturação administrativa das possessões ultramarinas destes anos. O Governo colonial completa o fundo para o monumento, enquanto a Câmara Municipal autoriza as obras da Catedral, concretizadas, com largo apoio estatal, em 1936-1944. O concurso camarário para os Paços do Concelho, em 1937-1939, é ganho pelo projecto de Carlos Santos, arquitecto português que vivera desde 1917 em São Paulo. O edifício é construído em 1940-1947. A praça é urbanizada em 1940, ano da inauguração do monumento, no âmbito do programa das comemorações centenárias deste ano. A Avenida Aguiar [mais tarde Avenida D. Luis e hoje Avenida Marechal Samora Machel] já fora prolongada e rectificada, passando a ligar directamente esta praça com a 7 de Março. Desta forma, monumento e palácio municipal rematavam uma avenida espaçosa que iniciava no Monumento a António Enes, criando um novo espaço público de referência do imaginário urbano que centralizava as sedes administrativa e religiosa à volta da figura equestre.”

Pouco antes da declaração formal da Independência de Moçambique, em Junho de 1975, o monumento foi demolido e a estátua equestre bem como os painéis laterais, foram colocados no núcleo museológico construído no local da antiga Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição, na Praça 7 de Março, onde ainda se encontra.

Durante o segundo mandato de Armando Guebuza, terceiro presidente de Moçambique após a Independência, no espaço previamente ocupado pelo monumento, foi colocada uma estátua em homenagem ao primeiro presidente de Moçambique, Samora Machel. A praça passou a designar-se Praça da Independência. Sendo que a declaração formal da independência foi declarada no antigo Estádio Salazar, na Machava, que até esta data nunca foi alvo de qualquer atenção quanto à solenidade do acto histórico ali ocorrido na noite de 24 para 25 de Junho de 1975.

Para mais detalhes, ver esta preciosidade do grande blogue com o nome errado, bem como o trabalho de Gerbert Verheij, a partir da página 34.

10/10/2017

O GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES, 1949

Fotografia de Luis Filipe, herdada do seu Pai, que então acabara de chegar à capital de Moçambique.

 

O complexo do Grupo Desportivo Lourenço Marques, 1949, pouco depois da inauguração da piscina. Em frente, a antiga sede da Câmara Municipal de Lourenço Marques. Na ponta inferior do lado esquerdo desta imagem, vêem-se as bancadas do campo de futebol do Sporting Clube de de Lourenço Marques.

 

O Grande Francisco Velasco comentou assim esta imagem: Este ano foi a Inauguração do rinque do Clube Desportivo de Lourenço Marques, situado no canto direito superior pela magnífica Selecção Nacional Portuguesa Campeã do Mundo que desencadeou o interesse e entusiasmo em esteróides pela prática do hóquei em patins. Tinha 14 anos bem como os meus colegas e do grupo de rapazes sentados nas bancadas, uns quinze… dez anos mais tarde quatro deles foram Campeões Mundo, 7 campeões da Europa e 4 Campeões Latinos. Foi obra …!

30/09/2017

O SEGREDO DO EDIFÍCIO DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES

Grato ao Paulo Pires Teixeira, que um dia recentemente mo revelou….

A Câmara Municipal de Lourenço Marques, que foi elevada a Cidade em 10 de Novembro de 1887, funcionou em instalações alugadas e precárias, até cerca de 1910, quando foi instalada no edifício na Baixa em frente ao Desportivo, onde funcionou até 1947. Cerca de 1940, no início da II Guerra Mundial, iniciou-se a edificação de um novo edifício, mais monumental, situado no topo da Avenida Aguiar (mais tarde Dom Luiz I, e actualmente Avenida do Marechal Samora Machel). Mas a falta de materiais derivada da Guerra atrasou a obra e a inauguração aconteceu apenas no dia 1 de Deembro de 1947, no feriado que celebra, em Portugal, o golpe que tornou esse país novamente independente de Espanha em 1640, depois de 60 anos como parte daquele país ibérico.

A edificação da nova sede da Câmara concluiu um conjunto de alterações que pretendeu emprestar uma nova centralidade e espectacularidade à até então pacata e algo modesta cidade, algo que os arquitectos e vereação da Cidade vinham trabalhando desde há décadas, nomeadamente na ligação à histórica Praça 7 de Março (hoje 25 de Junho), na criação da Praça onde em 1940 foi instalada uma estátua equestre de Mouzinho de Albuquerque e na destruição da Igreja de Nossa Senhora da Conceição no local onde hoje está a sede da Rádio Moçambique e edificação da nova (e muito maior) Sé Catedral, inaugurada em Agosto de 1944.

A temática deste espaço reflecte os tempos e o exacerbar de “valores nacionais fundacionais”, muito em voga naquela altura, quer por parte da ditadura de António Oliveira Salazar, quer um pouco por todo o mundo dito civilizado, que passava por uma vertigem de exacerbação (com doses maciças de embelezamentos e, nalguns casos, de pura ivenção) desses valores. Portugal não escapou a essa dinâmica, pelo contrário.

Enfim.

O “segredo” é que o edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques, ao contrário do que possa parecer…..não é rectangular. Veja mais abaixo.

As fachadas Sul e Oeste da CMLM, anos 50. Repare no número de janelas na saliência da fachada Oeste,

 

As fachadas Sul e Leste, num postal dos anos 60. Notou alguma coisa? Pois. Mas veja melhor e conte o número de janelas na saliência da fachada Leste, E veja o diagrama em baixo.

 

Bem, na realidade o edifício tem esta configuração irregular. E porquê? Porque desta forma as respectivas fachadas podem ficar perfeitamente paralelas em relação à rua com que se confronta a Norte (a Avenida Andrade Corvo) e a Praça Mouzinho e a Avenida Dom Luiz I a Sul.

 

Nesta foto aérea contemporânea do Estúdio Saint Louis, pode-se reparar no desenho irregular do edifício, para acompanhar o traçado da Avenida Andrade Corvo.

 

A fachada Norte do edifício, perfeitamente alinhada com a Avenida Andrade Corvo.

Nesta foto dos anos 50, repare no perfeito alinhamento entre a fachada da sede da Câmara Municipal até literalmente à porta do Porto de Lourenço Marques, na ponta Sul da Praça 7 de Março que se pode ver aqui em parte. Até aos anos 60, para quem viajava de barco para a Cidade, este enquadramento era a primeira coisa que viam quando saíam do navio. Uma visão.

A FACHADA NORTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Filed under: LM Câmara Municipal — ABM @ 22:05

Este edifício foi iniciado antes do início da II Guerra Mundial mas a guerra atrasou a obra. Foi inaugurado no dia 1 de Dezembro de 1947. Entre 1910 e 1947, a Câmara funcionava num edifício localizado em frente da sede do Grupo Desportivo.

A fachada Norte do edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques, menos espectacular que a fachada Sul, que faz frente à Praça Mouzinho de Albuquerque.

23/08/2017

INTERIOR DO SALÃO NOBRE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 60

Filed under: LM Câmara Municipal — ABM @ 17:33

Fotografia que fazia parte de um cartão de Boas Festas da Câmara Municipal de Lourenço Marques, década de 1960.

 

Interior de um salão na Câmara Municipal de Lourenço Marques.

07/05/2016

A CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 50

Filed under: LM Câmara Municipal — ABM @ 18:56

 

O Edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques, inaugurado em 1947.

O Edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques, inaugurado em 1947.

17/04/2014

A ESTÁTUA DE MOUZINHO EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 70

 

 

O monumento em honra do militar português Mouzinho de Albuquerque, na praça com o mesmo nome, em Lourenço Marques, anos 70. No mesmo lugar, foi colocada recentemente uma estátua evocativa de Samora Machel, o primeiro presidente de Moçambique. A estátua de Mouzinho está em exposição no átrio do Núcleo Museológico da Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição em Maputo.

O monumento em honra do militar português Mouzinho de Albuquerque, na praça com o mesmo nome, em Lourenço Marques, anos 70. No mesmo lugar, foi colocada recentemente uma estátua evocativa de Samora Machel, o primeiro presidente de Moçambique. A estátua de Mouzinho está em exposição no átrio do Núcleo Museológico da Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição em Maputo. Atrás, pode.se ver a fachada frontal da Câmara Municipal de Lourenço Marques.

01/01/2014

A AVENIDA DOM LUIZ EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1960

Fotografia de Artur Monteiro de Magalhães, gentilmente cedida pelo seu filho Artur Magalhães e restaurada por mim. Para ver a foto devidamente, abra com a máxima resolução.

Esta é a minha primeira inserção de 2014. Aos visitantes que têm acompanhado este pequeno blogue, desejo um ano de sucessos e saúde.

A Avenida Dom Luiz (actualmente, Avenida Marechal Samora Machel) em Lourenço Marques, anos 60. À direita, o

A Avenida Dom Luiz (actualmente, Avenida Marechal Samora Machel) em Lourenço Marques, anos 60. À direita, o Continental e o Scala. À esquerda ao fundo, o Prédio Montepio. Ao fundo, a Câmara Municipal.

25/12/2013

A FACHADA DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1960

Fotografia de Artur Monteiro de Magalhães, gentilmente cedida pelo seu filho Artur Magalhães e restaurada por mim. Para ver a foto devidamente, abra com a máxima resolução.

A fachada do edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques, anos 60.

A fachada do edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques, anos 60.

06/10/2013

O GRUPO DESPORTIVO LOURENÇO MARQUES, ANOS 1950

O Grupo Desportivo Lourenço Marques (não "de" Lourenço Marques, como muitos parecem crer) em 1950. Fica situado na baixa da Cidade, em terrenos aterrados cerca de 1920.

O Grupo Desportivo Lourenço Marques (não “de” Lourenço Marques, como muitos parecem crer) em 1950. Fica situado na baixa da Cidade, em terrenos aterrados cerca de 1920. À esquerda, o então novo campo de hóquei em patins. À esquerda do edifício redondo, as carreiras de tiro. A piscina foi inaugurada no dia 24 de Julho de 1949, na altura data do feriado municipal de Lourenço Marques.

 

A Piscina do Grupo Desportivo Lourenço Marques, anos 50.

A Piscina do Grupo Desportivo Lourenço Marques, anos 50. Ao fundo, pode-se ver o edifício do Tribunal da Relação, que durante 30 anos foi a Câmara Municipal.

 

A PRAIA DA CÂMARA EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1910

Filed under: LM Câmara Municipal, LM Paiol da Cidade — ABM @ 17:40
Barcos ancorados na então chamada Praia da Câmara em Lourenço Marques, segunda década do Séc. XX

Barcos ancorados na então chamada Praia da Câmara em Lourenço Marques, segunda década do Séc. XX. Ficava mais ou menos onde hoje está situado o antigo Clube de Pesca. Todos os montes na orla da praia foram removidos poucos anos depois para os enormes aterros que constituem os terrenos entre a antiga Fazenda (actual Gabinete do Primeiro.Ministro) e a doca do Clube de Pesca. Ao fundo, pode.se ver o Paiol e à sua esquerda o edifício da então Câmara Municipal, que ainda hoje fica mesmo em frente ao Desportivo.

11/09/2012

A PRACETA ANTÓNIO ENES NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 1910

A rua situada no extremo Sul da Praça 7 de Março em Lourenço Marques, à esquerda a estátua evocativa a António Enes, figura incontornável da história moderna de Moçambique. Pouca gente sabe que a primeira estação de comboios de Lourenço Marques e a primeira Câmara Municipal da cidade funcionaram nesta rua, uma mais ou menos em frente à outra (bem, quem sabe melhor isto è o Paulo Pires Teixeira).

24/06/2012

A CÂMARA MUNICIPAL DE LOURENÇO MARQUES E O PRÉDIO FUNCHAL, FINAL DOS ANOS 1960

O edifício da Câmara Municipal de Lourenço Marques visto de Oeste. Atrás podem-se ver a Sé Catedral e o Prédio Funchal, o edifício de O Diário (e a Tribuna) e ainda parte do Jardim Vasco da Gama (hoje Tunduru).

Older Posts »

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: