THE DELAGOA BAY WORLD

13/09/2012

ZEBRAS NO PARQUE NACIONAL DA GORONGOSA, ANOS 1970

Filed under: Zebras Gorongosa 1970s — ABM @ 22:59

Zebras no Parque Nacional da Gorongosa, anos 1970.

18/06/2012

ATRAVESSANDO UMA PONTE NA ZAMBÉZIA, ANOS 1950

Filed under: Atravessando uma ponte na Zambézia 1950s — ABM @ 21:44

Fotografia de José Crespo de Carvalho, restaurada.

 

O Ford com matrícula Q-1305 atravesssando uma ponte de madeira na Zambézia.

13/05/2012

A CALÇADA PORTUGUESA NA PRAÇA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE, ANOS 1960

Um dos passeios da Praça Mouzinho de Albuquerque, anos 1960, ilustrando a chamada calçada portuguesa. Foto restaurada, não sei a proveniência.

O CIRCO BOSWELL WILKIE, 1980

Filed under: Circo Boswell Wilkie 1980 — ABM @ 22:47

O Circo Boswell Wilike em Joanesburgo, 1980. Este era um dos circos que visitava Lourenço Marques anualmente antes da Independência. Ainda hoje opera na África do Sul.

DESPACHO DO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE MOÇAMBIQUE, OUTUBRO DE 1976

Texto do despacho do Ministério da Indústria e Comércio de Moçambique de 28 de Outubro de 1976, regulando ….a altura dos sapatos produzidos em Moçambique. Pois, Moçambique na altura ainda produzia sapatos. O ministro era o então jovem Mário Machungo.

08/05/2012

UM DIA NO LUNA PARQUE EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1960

Fotografias da Colecção de Jorge Henriques Borges.

 

Foto 1. O Luna Parque realizava-se a seguir ao fim das aulas, creio que em Junho/Julho, quando já fazia frio em Lourenço Marques. Ficava no terreno adjacente à Fazenda, na baixa da cidade.

 

Foto 2.

UM DIA NAS TOURADAS EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1970

Fotografias da Colecção de Jorge Henriques Borges.

 

Foto1. Na Praça de Touros Monumental em Lourenço Marques.

 

Foto 2.

 

Foto 3.

UM DIA NO CIRCO EM LOURENÇO MARQUES, ANOS 1960

Fotografias da Colecção de Jorge Henriques Borges.

 

Foto 1.

 

Foto 2.

 

Foto 3.

22/03/2012

MACHIMBOMBO NOS ARREDORES DE LOURENÇO MARQUES, 1933

Filed under: Machimbombo em LM 1933 — ABM @ 18:39
Clerc, André-Daniel

Machimbombo nos arredores de Lourenço Marques, 1933.

TOURADAS EM LOURENÇO MARQUES

Filed under: LM Praça de Touros Monumental, Touradas em LM — ABM @ 16:17

Uma tourada em Lourenço Marques, anos 1910. Os visitantes ingleses e boers, que jogavam golf, ténis e bowling, nem queriam acreditar no que viam. Não sei o que pensavam os moçambicanos mas não devia estar lá muito longe dos outros.

 

A assistência numa tourada em Lourenço Marques. Todos domingueiros, de chapéu de palha.

 

Uma tourada em tempos mais recentes, aqui já na Praça Monumental.

21/03/2012

MESA DE OPERAÇÕES EM LOURENÇO MARQUES, 1906

Filed under: Mesa operações LM 1906, OUTROS — ABM @ 14:55

Mesa de operações em Lourenço Marques, 1906. Eu acho que isto é nos arredores da cidade.

RIQUEXÓ EM LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DO SÉC. XX

Filed under: Riquexó em LM 1900s — ABM @ 14:20

Riquexó em Lourenço Marques, início do Séc. XX.

TENDA HINDÚ EM LOURENÇO MARQUES, INÍCIO DO SÉC. XX

Filed under: OUTROS, Tenda Hindu em LM 1900 — ABM @ 14:07

Uma tenda hindu em Lourenço Marques, início do Séc. XX

29/02/2012

LEITE DE VASCONCELOS, AUSENDA MARIA E EUGÉNIO CORTE REAL E O PROGRAMA TIC TAC, ANOS 1960

Fotografia de Edmundo Galiza Matos, restaurada.

Leite de Vasconcelos, Ausenda Maria e Eugénio Corte Real, aqui a gravar o programa de rádio Tic Tac nos estúdios da Elmo em Lourenço Marques.

23/02/2012

JOSÉ AZEVEDO NO STAND DA RIFA DO DESPORTIVO NA BAIXA DE LOURENÇO MARQUES, 30 DE JUNHO DE 1959

Filed under: José Madrono Azevedo, OUTROS, PESSOAS, Rifa do Desportivo — ABM @ 21:29

Muito grato ao Paulo Azevedo por disponibilizar esta fotografia do seu pai, José Madrono Azevedo.

José Madrono de Azevedo, então recém-chegado a Moçambique, passeia-se no stand do da Rifa do Desportivo na tarde do dia 30 de Junho de 1959. O stand ficava situado junto à esquina das Avenidas da República e Dom Luiz, a seguir à Casa Coimbra. Atrás dele, alguns dos prémios da Rifa do Desportivo para o ano de 1959.

FÁBRICA DE CAJÚ EM MOÇAMBIQUE, ANOS 1960

Filed under: Fábrica de Cajú anos 60, OUTROS — ABM @ 19:19

Fotografia restaurada.

 

Aspecto da fábrica de processamento de cajú, que na altura era uma enorme riqueza de Moçambique.

20/02/2012

O FESTIVAL DA JUVENTUDE EM LOURENÇO MARQUES, 10 DE JUNHO DE 1971

Filed under: - Festival da Juventude 1971, OUTROS — ABM @ 15:52

Fotografias obtidas por Paulo Pires Teixeira de arquivos em Moçambique e gentilmente cedidas. Restauradas.

 

O Festival da Juventude assinalava o fim das aulas em Moçambique e coincidia com o feriado de 10 de Junho. Nele colaboravam estudantes da maior parte das escolas.

 

As meninas sentadas na pista de atletismo no Estádio Salazar.

 

Aspecto do Festival.

19/02/2012

ESTUDANTES E DOCENTES DA UNIVERSIDADE DE LOURENÇO MARQUES, 1963-4

Foto gentilmente cedida por Edgar Neves e restaurada.

A actual Universidade Eduardo Mondlane teve a sua origem na Universidade de Lourenço Marques.

Estudantes e docentes da Universidade de Lourenço Marques posam em frente ao edifício da Reitoria, na Praça 7 de Março em Lourenço Marques, 1963-64.

18/02/2012

BARCO NA COSTA MOÇAMBICANA, ANOS 2000

Filed under: Barco na costa de Moç., OUTROS — ABM @ 22:01

 

 

Um barco na costa moçambicana. Foto do Bruno Craveirinha.

16/02/2012

ESTUDANTES DE MOÇAMBIQUE NA ÁFRICA DO SUL: BARBERTON HIGH SCHOOL

Fotografias da Helena Frutuoso de Almeida, do Ezequiel Vale (Zigs) e do Jorge Ribeiro.

Havia uma certa tradição de famílias de Lourenço Marques enviarem os seus filhos para estudarem na África do Sul, onde, para além de o ano escolar decorrer entre Janeiro e Dezembro (em Moçambique, entre Setembro e Junho) a experiência era completamente diferente da de Moçambique em quase todos os aspectos.

Aqui assinala-se a Barberton High School (em afrikaans, Hoerskool), uma escola situada na pequena localidade de Barberton, perto de Nelspruit, a cerca de cem quilómetros da fronteira em Ressano Garcia, ou duzentos quilómetros de Lourenço Marques.

Com tempo, espero ir poder fazer notas sobre outras escolas.

Para os interessados, existem interessantes grupos no Facebook para a maior parte dessas escolas. Um deles é gerido pelo Ezequiel Vale (Zigs).

A entrada do liceu em Barberton, numa fotografia recente.

P1, a Berta Lopes Da Silva, a Constança Sousa e a Linda Ruivo Coats.

Pierre de Villiers e Debbie de Souza.

Mike Wilson, Luis Louceiro e Miguel do Vale.

Maria Roque e Chico Coelho.

Fernando Botelho de Melo.

A Helena Frutuoso Almeida entre o Attie van Niekerk e o Alan Fitz-Patrick.

A Helena Frutuoso de Almeida, que estudou em Barberton e dona destas fotografias, passeando-se recentemente em Cape Point, na África do Sul.

Apesar do nome e este ar de bifeteck, o Alan Fitz-Patrick nasceu na Maxixe (onde a sua avó materna geria um pequeno hotel) e é português. Actualmente vive na Holanda e mantém-se em contacto com os colegas de Barberton.

Uma das equipas de râguebi do liceu, em que participou o Jorge Ribeiro.

O Zigs (fila do topo, 2º da esquerda) e o Vitor Nuno dos Santos (2ª fila a contar de cima, à direita) na equipa de râguebi, 1973.

O Zigs à esquerda, à direita o Pedro de Abreu.

14/02/2012

UM SINALEIRO DIRIGE O TRÂNSITO, ANOS 1930

Filed under: OUTROS, Sinaleiro dirige trânsito — ABM @ 21:02

Fotografia de Man Martim, restaurada.

 

Um sinaleiro dirige o trânsito numa cidade de Moçambique. Falta saber qual era.

30/11/2011

MAPUTO E BEIRA PROTEGEM PATRIMÓNIO HISTÓRICO NACIONAL

Para ver esta fotografia em tamanho máximo, prima duas vezes na imagem com o rato do seu computador.

Vista aérea de Lourenço Marques, anos 1960

Tardiamente, reproduzo em baixo a peça do Cláudio Saúte, publicada no CanalMoz, de Maputo, 1 de Março de 2011. Agradeço ao Paulo Azevedo ter chamado a atenção para este texto.

Palácio da “Ponta Vermelha” proposto como “património histórico”

reitor da uem

O reitor da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Filipe Couto, comprometeu-se a trazer a público, nos próximos dias, a lista de edifícios da cidade de Maputo classificados como património histórico, turístico e cultural. Na lista dos edifícios inventariados para tal está o “Palácio da Ponta Vermelha”, a residência oficial do Presidente da República que no tempo colonial era a residência oficial do governador-geral.

A Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico da UEM levou a cabo durante um mês, um trabalho que culminou com o levantamento e registo de 200 edifícios propostos para a classificação como histórico, turístico e cultural. A lista do primeiro grupo de 30 edifícios, a ser entregue às instituições competentes, foi apresentado publicamente na sexta-feira.

Falando na ocasião, Filipe Couto disse que a UEM vai levar este trabalho até ao fim. “Aqui quando se começa uma coisa leva-se até ao fim e apresentam-se resultados. Somos livres. Nós não dizemos coisas que depois terminam em gavetas”, disse o Reitor, padre Filipe Couto para garantir que “o trabalho da classificação dos edifícios não vai parar pelo caminho”.

O passo a seguir é entregar ao Conselho Municipal a lista dos edifícios. Este por sua vez vai encaminhar ao Ministério da Cultura que deverá e por fim fazer o dossier desaguar no Conselho de Ministros para a sua aprovação final.

Por seu turno, o presidente do Conselho Municipal de Maputo, David Simango, disse que a proposta da UEM de classificar os edifícios, encaixa-se perfeitamente nas preocupações da edilidade, uma vez que na cidade se assiste a um “Carnaval de destruição e reconstrução de edifícios”.

“A UEM não é estranha a este processo. Tenho recebido informação de execução de obras que são executadas de madrugada ou à noite. Este é um problema sério da nossa cidade. Com a classificação, as coisas passarão a ser feitas dentro de regras. Há transformações de edifícios aqui na cidade que só nos apercebemos depois”, disse o edil de Maputo afirmando ainda que a classificação dos edifícios da cidade Maputo “é uma forma de fazer a nossa cultura”.

“A nossa cidade é um ponto cultural e turístico muito importante. A classificação visa colher a história dos edifícios e passar a defendê-los. Haverá manutenção sempre que for necessário, mas respeitando-se a classificação”, assegurou.

Na cidade da Beira, capital provincial de Sofala, município onde o presidente é Daviz Simango, presidente simultaneamente do MDM, “foram inventariados até ao momento 140 edifícios para serem propostos à classificação”. “Ainda estamos à procura de ferramentas para classificação”, disse Luís Lage, director da Faculdade de Planeamento Físico e Arquitectura.

Lage anunciou que tanto no caso de Maputo como da Beira, as propostas darão entrada nos Conselhos Municipais oportunamente.

De um total de 203 edifícios inventariados para a classificação, para além do Palácio da Ponta Vermelha, destaque vai ainda para o Mercado Central, Centro Cultural Franco Moçambicano, Caminhos de Ferro de Moçambique, Casa dos Azulejos, Museu de Moeda, Fortaleza de Maputo, Edifício de Passos Municipal, Monumento da I Guerra Mundial, Sé Catedral, Rádio Moçambique, Telecomunicações de Moçambique, Tribunal Supremo, Imprensa Nacional, Monumento e Estatua de Samora Moisés Machel, Prédio Pott, Centro Cultural do Conselho Municipal de Maputo, Monumento e Estatua de Eduardo Mondlane, Monumento dos Heróis Moçambicanos, Prédio Residencial Leão que Ri, Restaurante 1908, Casa Velha, Igreja da Polana, Vila Algarve, Palácio dos Casamentos, Museu Nacional de Geologia, Museu da História Natural, Biblioteca Nacional, Correios de Moçambique e Casa de Ferro.

(fim)

PRIMEIRO VOO REGULAR ENTRE SALISBÚRIA E LOURENÇO MARQUES, 1973

Filed under: OUTROS, Primeiro Vôo Salisbúria-LM — ABM @ 09:55


Carimbo a assinalar o primeiro vôo comercial regular da Air Rhodesia entre Salisbúria (hoje Harare) e Lourenço Marques, 4 de Novembro de 1973.

29/11/2011

PUBLICIDADE DE LOURENÇO MARQUES, ANOS 50

Filed under: OUTROS, Publicidade de Lourenço Marques — ABM @ 13:52

Publicidade de Lourenço Marques, em inglês, da Câmara Municipal.

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: